Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

°°°Jacarecanga 163 anos°°°


No Jacarecanga, tem gente que ainda é do tempo em que seu Oscar Pedreira acabava pessoalmente com as arruaças dos meninos do Liceu em seus ônibus. Não era sempre assim. Era só quando estavam mais afogueados. Seu Oscar virou nome de rua por lá. Tem gente ainda que é do tempo em que seu Pedro Philomeno Gomes* abria os portões do famoso casarão às crianças que desejavam chafurdar pelos seus jardins na Avenida Francisco Sá. Hoje, o industrial que já se despediu da vida e de seu Jacarecanga dá nome a uma das mais importantes avenidas do bairro que abrigou, outrora, os fidalgos de Fortaleza. Época em que eles nem sonhavam em migrar para Aldeotas e afins. Quase ninguém sabe, mais um dos bairros mais antigos da cidade completou no dia 17/06/2008 163 anos.
Ele limita-se com o Centro, Moura Brasil, Farias Brito, Monte Castelo, Carlito Pamplona e Pirambu. Muitos dos que moram por ali, ou lembram-se da história do bairro ou ainda tentam salvar os resquícios dela. Quem está apenas de passagem, tem de tentar ver, ao invés de olhar. Só assim a vista alcança traços do passado elegante do lugar. Em tempos idos, o Jacarecanga abrigou palacetes e chácaras das famílias abastadas de Fortaleza - comumente erguidas em imitação às tendências arquitetônicas do Velho Mundo. Alguns desses imóveis foram restaurados. A maior parte deles, no entanto, sobrevive à míngua ou está na lista da especulação imobiliária.
"Tudo aqui tem uma história. Cada prédio desses que foi destruído. Cada um que sobreviveu", afirma o presidente da Sociedade dos Amigos do Jacarecanga, Moysés Rodrigues Pereira. Dos 72 anos de vida dele, 27 têm sido vividos no lugar. Segundo ele, os moradores mais antigos e de maior conhecimento intelectual são os que ainda lutam pela preservação da memória do bairro. "A juventude ainda é meio desligada pra isso. Mas como muitos já estão se integrando a movimentos ambientalistas, isso acaba chamando a preservação", torce Moysés. Na Avenida Philomeno Gomes, graças a uma desapropriação feita pelo governo estadual em 2005, o casarão conhecido como "Casa da Normandia" ainda está de pé. Quando findarem as últimas querelas judiciais, a edificação deve virar o Arquivo da Polícia do Ceará. "O casarão levou oito anos para ser construído (1920 a 1928). Era a residência do ministro Brasil Soares, que tirou a planta de uma revista francesa", detalha Moysés, que não se cansa de mergulhar no passado do lugar. Hoje, o Jacarecanga não tem mais a "Ferrugem", que levantava a saia sempre que a meninada a chamava assim. Nem o "Feijão-sem-Banha", que errava pelo bairro cheio de latas penduradas ao corpo. Também já se foram o "Chico Engraxate", os banhos de piscina no casarão do seu Philomeno, o areal que fazia as vezes de campo de futebol e hoje dá lugar à Praça do Liceu. Mas o aniversariante ainda sobrevive, aos 163 anos.

Foto da antiga Praça Fernandes Vieira (do Liceu)- Hoje Gustavo Barroso

A Avenida Filomeno Gomes, uma das principais vias do bairro Jacarecanga, homenageia o industrial Pedro Philomeno Gomes, dono de boa parte dos imóveis do bairro Jacarecanga. Ele foi dono de fábrica de redes e de grandes hotéis do Centro, como o Lord, fechado há muitos anos.


Foto da Fábrica de Tecidos São José de Pedro Philomeno Gomes - Arquivo Nirez

Entre alguns ex-moradores ilustres do bairro, estão o ex-governador Virgílio Távora; o desembargador Leite Albuquerque; o ex-prefeito de Fortaleza Acrísio Moreira da Rocha; o ex-governador do Piauí, Alberto Silva; o padre Antônio Thomás; o ex-ministro Brasil Soares; e o industrial Philomeno Gomes. Nos primeiros edifícios da década de 20, os apartamentos funcionavam apenas como unidade de habitação. A área de serviço ficava longe do convívio da família, no último andar. No fim da década de 40, o Jacarecanga era cheio de mansões e bangalôs. O calçamento era de pedras toscas e os trilhos dos bondes corriam ao longo da avenida, bem como os fios apoiados em postes da The Ceara Light and Power Ltd. (que fornecia energia elétrica para a cidade). As árvores eram pés de fícus-benjamins, regularmente podadas. A região, mesmo na época dos bondes, foi servida pelos ônibus de Oscar Pereira (que hoje dá nome a outra antiga rua do bairro).

Essa foto atual comprova o que diz o texto
"A maior parte deles, no entanto, sobrevive à míngua"




*Em 7 de junho de 1888, nascia em Sobral o visionário industrial Pedro Philomeno Ferreira Gomes. Sempre à frente de seu tempo, aos 16 anos, o jovem já exercia o trabalho de comerciante na Camisaria Esperança, negócio de seu irmão mais velho, José Philomeno Ferreira Gomes, no Rio de Janeiro. De volta ao Ceará, em 1912, casa-se com Maria Júlia Machado da Fonseca, filha do escritor Júlio César da Fonseca, que em 1913 estimulou seu ingresso na política, como vereador de Fortaleza. Mas sua aptidão era mesmo o setor industrial.

Pioneiro, Pedro Philomeno Ferreira Gomes revolucionou o beneficiamento do algodão no estado, indo além da seleção da pluma para exportação e transformando sua usina numa indústria extrativa do caroço do algodão, onde passou a extrair óleo comestível e a fabricar sabão considerado de qualidade, perante os parâmetros da época. Sua visão de futuro o fez substituir teares de madeira por máquinas capazes de produzir em escala suficiente de exportação. Em 1926, instalou a Fábrica de Tecidos São José, que foi durante muitos anos a maior fabricante de redes do Brasil. A empresa possuía um parque fabril que ocupava área de 26.000 metros quadrados, empregando mais de mil operários. Foi pioneira no Ceará na fabricação de produtos como toalhas felpudas, fraldas e toalhas de mesa.

Quando ainda nem se cogitava o estabelecimento de políticas ambientais de reflorestamento, Pedro Philomeno iniciou a substituição de cada árvore derrubada, para uso industrial, por uma muda de cajueiro. A Fazenda Guarany, em Pacajus, é resultado dessa experiência, com o plantio inicial de 200.000 pés de cajueiro.

No setor imobiliário, Pedro Philomeno construiu o Iracema Plaza Hotel e o Lord Hotel, considerados por décadas os mais modernos e confortáveis hotéis de Fortaleza. Foi ainda responsável pela expansão urbana de Fortaleza, deixando mais fortemente sua marca no bairro de Jacarecanga.

Outro fato marcante na vida do empresário foi, já na sua época, a sensibilidade para a responsabilidade social de suas empresas. O bem-estar dos operários sempre foi uma grande preocupação de Pedro Philomeno. Exemplo disso foi a construção da Vila São José, situada vizinho a Fabrica São José, onde ele construiu 180 casas e apartamentos para as famílias dos operários que moravam mais longe e que tinham dificuldades de locomoção. A vila possuía escola e grêmio recreativo e desportivo. Na fábrica também eram prestados atendimentos médicos aos operários e seus familiares.


°°°Fotos Antigas°°°



Foto de 1904 - Centro da cidade - Rua Major Facundo



Vista aérea da cidade em 1933. Vemos a Igreja Pequeno Grande e mais ao fundo a Cristo Rei. A torre branca que se vê mais em primeiro plano seria da igreja evangélica situada no local onde hoje está construído o Ed. Vital Rolim.






Fotos de 1934 da Praça do Ferreira








Foto de 1955





Essa foto da praça eu não sei a data, mas deve ser bem antiga






Foto de 1910 - Faculdade de Direito - Hoje Museu do Ceará



Teatro José de Alencar - Data desconhecida



Essa foto de data desconhecida é da descida da Prainha, vendo-se a Igreja da Prainha




Praia do Mucuripe - Data desconhecida






Ponte dos Ingleses - Data desconhecida










Foto de 1939 - Praia de Iracema



Foto de 1900 - Rua Major Facundo





Fonte: Dnocs e pesquisas na internet