Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Fevereiro 2015 [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Rotary Club de Fortaleza - 80 Anos



Como tudo começou... 

O primeiro Rotary Club foi fundado na cidade de Chicago, Estados Unidos, em 23 fevereiro de 1905 pelo advogado Paul Percy Harris e mais três homens de negócios: Gustav Loehr – engenheiro de minas, Hiran Shorey – alfaiate, e Silvester Schiele – comerciante de carvão. A Associação Nacional de Rotary Clubs (National Association of Rotary Clubs) foi fundada em 1910 e, em 1912, seu nome mudou para Rotary International em função da admissão do primeiro Rotary Club fora dos Estados Unidos, em Winnipeg, Canadá. O lema da instituição é Dar de si antes de pensar em si



Atualmente, existem mais de 1,2 milhões de rotarianos associados espalhados por todo o mundo. A Fundação Rotária do Rotary International é a principal organização não governamental sem fins lucrativos do mundo, promovendo a paz e a compreensão mundial através de programas internacionais humanitários, educacionais e de intercâmbio cultural.

Em 1933, o país estava em plena efervescência política com a reorganização partidária decorrente da Revolução de 1930, agravada pelos efeitos da Revolução Paulista de 1932, que nos trouxe alguns receios de separativismo e o Estado do Ceará, assolado por uma forte seca, com levas de flagelados procurando refúgio na capital. Este é o cenário em que se iriam desenvolver os preparativos para fundação de um clube de Rotary no Ceará.

O Prefeito de Fortaleza na época, Dr. Raimundo Girão, resolve dotar a cidade de um Plano Urbanístico, contratando para isto os serviços do já consagrado urbanista Nestor de Figueiredo que estava executando igual trabalho nas capitas de Pernambuco e Paraíba.

Logo aos primeiros contatos com Raimundo Girão, Nestor, pertencente ao Rotary Club de João Pessoa, percebeu que aquele era o homem capaz de capitanear as operações necessárias à fundação de um clube de Rotary no Ceará, desejo que compartilhava com seu amigo Lauro de Andrade Borba, destacado rotariano em Recife.

Nos encontros com Raimundo Girão, aproveitou para discutir os parâmetros balizadores do Plano Diretor, para difundir a ideia da fundação de um clube de Rotary na capital cearense. 


Sentindo a receptividade de sua ideia, volta ao Recife e comunica ao rotariano Eng° Lauro de Andrade Borba, (eleito Governador do Distrito Brasil do Rotary Club) os entendimentos mantidos no sentido de ser fundado o primeiro clube de Rotary International no Ceará.

Trecho da epístola de Lauro de Andrade Borba a Raimundo Girão:

"Ilmo. Sr. Dr. Raimundo Girão.

Foi com viva satisfação que recebi do meu distinto amigo e companheiro de Rotary, Nestor de Figueiredo, a notícia de que o Dr. Girão prontificava-se a receber todas as informações necessárias a facilitar o agrupamento de algumas pessoas de melhor representação social de Fortaleza, com o objetivo de examinar o que vem a ser Rotary, como associação de homens ativos e úteis à sua comunidade. Estamos todos, os que conhecem de perto ou de tradição o povo cearense convicto de que há entre ele, e mais talvez do que em outros pontos do nosso país, verdadeiros rotarianos natos, ativos e úteis à sua comunidade.

O que falta, pois, será apenas coordenar a sua atividade social, pelas normas de Rotary, para lhe dar maior eficiência e mais aproximação com outros homens que agem do mesmo modo, tanto no resto do Brasil, como nos outros países do mundo.

Estou por isto mesmo absolutamente seguro de que, em breve, teremos em Fortaleza mais um Rotary Club a crescer no grupo brasileiro que forma o Distrito 72° dessa curiosa e muito interessante agremiação internacional. Conto, pois, com vosso apoio para essa campanha idealística e prática, capaz de aproximar-se cada dias mais uns dos outros, os brasileiros de todos os recantos desse imenso país, que tanto necessita ainda de ser trabalhado no seu aperfeiçoamento.

Com minhas saudações mais efusivas, subscrevo-me

At. Ordo Obro”



Na ocasião, Arcoverde Cavalcanti (secretário do Rotary Club de Recife), em carta de 30 de julho, põe à disposição de Raimundo Girão as sessões de seu clube, que eram realizadas às quartas-feiras no Hotel Central, para quando de sua vinda à capital pernambucana pudesse melhor conhecer as atividades do Rotary e as providências para fundação de um clube em Fortaleza.

Raimundo Girão conta com o decisivo apoio de Edgar Dutra Nunes, que era gerente da Esso em Fortaleza e de José Tomé de Sabóia e Silva, filho do Dr. João Tomé de Saboia e Silva, que Governou o Ceará no período de 1916 a 1920 e foi um dos fundadores e primeiro presidente do Rotary Club do Rio de Janeiro, pioneiro no Brasil do movimento rotário.

Lauro de Andrade Borba acompanhava os passos dos cearenses para a concretização da ideia e quando esteve em Nova York, para participar da Convenção do Rotary, assim se dirigiu a Girão em 8 de agosto de 1933:

Daqui da América não me tenho esquecido que o Ceará merece e deve ter um Rotary Club; daí o motivo desta carta e a remessa que aqui vos faço de um pequeno folheto, no qual se encontra uma breve síntese do que é Rotary. Encareço muito o vosso esforço para que possamos ter, ainda este ano, a fundação de um Rotary aí em Fortaleza”.


Em 22 de dezembro de 1933, no salão nobre do Hotel Excelsior, foi realizada com a presença de Nestor de Figueiredo, a reunião preliminar com um grande número de convidados, alguns cheios de entusiasmo e outros tomados de curiosidade. Seria a primeira vez que temas da instituição seriam ventilados e discutidos na terra dos “verdes mares"

A Nestor coube a tarefa de apresentar, pela primeira vez, os ensinamentos mais gerais da doutrina de Paul Harris. Nesta memorável assembleia, que contou com a presença do Governador (Interventor) do Ceará, Cap. Roberto Carlos Vasco Carneiro de Mendonça, foi eleita por aclamação e imediatamente empossada, uma Diretoria Provisória que se encarregaria da adoção dos procedimentos necessários à fundação da nova entidade.

A Diretoria Provisória ficou assim constituída: 

Presidente, Pedro Philomeno Ferreira Gomes; Vice-Presidente, Álvaro Weyne; Secretários: Edgar Dutra Nunes e Raimundo Girão; Tesoureiro: José Thomé de Sabóia e Silva. Além dos já citados estiveram presentes: Abnegado Rocha Lima, Alberto Sá, Clóvis de Araújo Janja, Clóvis de Alencar Matos, Demócrito Rocha, Demóstenes Brígido, Elisio Aires, Esmerino Parente, Francisco Falcão, Jorge Moreira da Rocha, José Leite Maranhão, José Ramos Torres de Melo, João da Frota Gentil, José Sérgio dos Reis Júnior, Manoel Onulfo Câmara, Maximiano Leite Barbosa Filho, Pedro Augusto de Araújo Sampaio, Paulo Sarasate, Raimundo Girão, Major Tibúrcio Cavalcanti e Roberto Gradvol.

Apresentaram escusas por não poderem comparecer, em virtude de força maior: Carlos Livino de Carvalho, Ernesto Pouchain, Francisco Moreira de Sousa, Francis Reginald Hull, Paulo de Avelar Cavalcante Rocha
A sessão inaugural foi realizada no dia 07 de maio de 1934, às 20 horas, no salão principal do Palace Hotel



O Rotary club foi oficialmente instalado pelo Governador do Distrito, Lauro de Andrade Borba, que vaticinou, em brilhante alocução, que o clube teria uma vida cheia de ações úteis à comunidade. Fez uso da palavra o companheiro Dorgival Mororó, transmitindo as saudações amigas e estimulantes dos companheiros do Rotary Club de João Pessoa, padrinho de nosso Clube, enfatizando que o lema a ser adotado por todos seria: “Dar de si antes de pensar em si”.


O primeiro Conselho Diretor do Rotary Club de Fortaleza, foi assim constituído: 

Presidente: Pedro Philomeno Ferreira Gomes; Primeiro Secretário, Raimundo Girão, Segundo Secretário, Edgar Dutra Nunes, Tesoureiro, José Thomé de Sabóia e Silva, Diretor de Protocolo, Clóvis de Alencar Matos e Vogal, Carlos da Costa Ribeiro. O Presidente Pedro Philomeno Ferreira Gomes reafirmou integralmente suas qualidades de “condottiero”, já demonstrada à frente da Diretoria Provisória, razão pela qual seus companheiros o cognominaram de “O Formidável”, secundado por Carlos Ribeiro que passou a ser o mestre abalizado e culto das coisas rotárias, que a todos ensinava em memoráveis Instruções Rotárias. Estes atributos credenciaram Carlos da Costa Ribeiro, apenas decorridas duas semanas da fundação do clube, a participar nos dias 25 e 27 de maio, da 5ª Conferência Distrital, da qual voltou tocado de comunicativo entusiasmo e ainda melhor informado para seu mister de ensinador. Durante este primeiro ano rotário, grande foi o progresso educativo dos nossos companheiros, graças às Instruções Rotárias ministradas por Carlos Ribeiro. Na terceira reunião semanal, realizada em 2 de junho, Álvaro Weyne pedia a atenção do Clube para momentoso problema da mendicância em nossa cidade. A presença de Raimundo Girão na Prefeitura e ao prestígio dos companheiros do Rotary tornaram possível destinar ao Asilo de Mendicidade de Fortaleza 200 mil contos de réis: 50 dos cofres da Prefeitura e 150 do Governo do Estado pelo Interventor, Capitão Roberto Carlos Vasco Carneiro de Mendonça. Esta substancial ajuda e mais a ação do Sindicato dos Lojistas, dirigido pelo rotariano, José Ramos Torres de Melo, em muito contribuíram para minorar o sofrimento dos desvalidos. 


Consolidado o clube em Fortaleza, parte já no segundo ano de sua fundação para interiorização do Rotary. Após a tentativa frustrada de fundar um clube em Sobral, em face da resistência do Bispo José Tupinambá da Frota, o clube volta suas atenções para a cidade de Quixadá, sede do promissor município, e ali funda, na terra dos monólitos, o Curral de Pedra, denominado por alguns pela grande quantidade de pedras que circundam a cidade, o primeiro clube no interior de nosso Estado. Outro acontecimento de significativa importância se verificou na Conferência Distrital, em Curitiba, em 1935, quando foi escolhido Governador do Distrito o companheiro Carlos da Costa Ribeiro, grande distinção a um clube com menos de dois anos de fundação mas que já se destacava no Distrito.



O Emblema

"Através dos anos, tem havido muita discussão sobre a criação e significado da RODA DENTADA.






Aqui estão alguns antecedentes de como o símbolo se desenvolveu e o que significa para mim... Em 1905, um tipógrafo-gravador e rotariano de Chicago, Montague Bear, desenhou uma simples roda de carruagem, mostrando movimento e poeira. Tinha a intenção de representar a civilização, movimento e trabalho em ação. Assim, muitos Rotary clubs adotaram a roda de uma maneira ou de outra.



Em 1922 foi decidido criar e desenvolver um emblema oficial de Rotary e em 1923 uma roda de engrenagem com 24 dentes e seis raios ou braços foi oficialmente adotada. Para mim, os dentes na parte externa da engrenagem representam o fato de que o trabalho deve ser feito. Os seis raios representam o mais profundo ideal de servir em Rotary e a Prova Quádrupla... indo em direção da comunidade, ocupações e profissões que nossos membros representam. Em 1929 a Convenção Internacional de Rotary, determinou que o azul real e o dourado deveriam ser as cores oficiais da organização, e a roda dentada foi desenhada com estas cores. Para mim, as quatro faixas azuis dentro do raio externo da engrenagem representam as quatro Avenidas de Serviço.


Mais tarde, engenheiros rotarianos chamaram a atenção para o fato de que a engrenagem não poderia girar livremente num eixo de transmissão, assim um rasgo de chaveta foi adicionado para significar que a roda era um "trabalhador e não um ocioso". O rasgo de chaveta no centro de um eixo é de um grande significado, porque representa o rotariano individual, que é o eixo principal em qualquer clube. Membros qualificados são as chaves necessárias para que o eixo se movimente e gire, pondo a energia em movimento e impulsionando esta engrenagem. Ao viajar e visitar clubes, distritos e projetos, passei a compreender que a Roda Dentada é mais do que um símbolo de um clube de serviço. Representa preocupar-se e compartilhar, amizade e amor, mais um compromisso e atitude com "você pode contar comigo". Significa uma atitude de "Um dar mais do que receber" por aqueles que se importam, tentando trazer uma luz de esperança para os desesperançados nos recantos obscuros do mundo.

A utilização do emblema com orgulho e honra é dever de todo rotariano."

Padu 
(Rotariano)

O Rotary Club de Fortaleza é notícia:




Clique para ampliar

Clique para ampliar


Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar



Clique para ampliar

Valiosa contribuição ao Instituto dos Cegos e outras instituições.


 Os objetivos do Rotary são fundamentados no estímulo e fomento ao ideal de servir como base de todo empreendimento digno, promovendo e apoiando:


  •     O desenvolvimento do companheirismo como elemento capaz de proporcionar oportunidades de servir;
  •     O reconhecimento do mérito de toda ocupação útil e a difusão das normas de ética profissional;
  •     A melhoria da comunidade pela conduta exemplar de cada um na sua vida pública e privada;
  •     A aproximação dos profissionais de todo o mundo, visando à consolidação das boas relações, de cooperação e de paz entre as nações.





Hoje o Rotary Club de Fortaleza tem como presidente o advogado Teobaldo Mânsio de Brito e como futuro presidente eleito 2015/2016 o advogado e empresário Tarcísio Rebouças Porto Junior.


Tarcísio Rebouças Porto Junior. Presidente 2015/2016

Fatos Históricos:

22/12/1933 - Realizada a sessão preliminar para fundação do Rotary Club de Fortaleza, no salão do Excelsior Hotel, tendo como primeiro presidente Pedro Filomeno Ferreira Gomes.

07/05/1934 - Instala-se, solenemente, no prédio do Palace Hotel, o Rotary Club de Fortaleza, filiado ao Rotary Club Internacional em ágape presidido por Lauro Barbosa, que empossou a primeira diretoria, tendo à frente Pedro Filomeno Ferreira Gomes. Na ocasião foi lançado o primeiro número do Boletim do Rotary Club.

12/07/1934 - Sai a Carta de agregação do Rotary Club de Fortaleza, ao Rotary Internacional.

1939 - Lançado Princesa do Norte, álbum em homenagem a Fortaleza, publicado sob os auspícios do Rotary Club de Fortaleza, organizado e dirigido por Raimundo Girão, contendo textos e fotografias além de anúncios.

16/04/1941 - Realiza-se, no Cine Diogo, a XII Conferência Distrital do Rotary Club, com a presença de mais de 200 rotarianos desembarcados pela manhã, de bordo do "Pedro I". Presentes o coronel Alcebíades Dracon Barreto representando o presidente Getúlio Vargas, o Interventor Menezes Pimentel e o prefeito interino Rui Garcia Guedes (Rui Guedes).

19/09/1943 - Inaugurada a Casa dos Cegos (hoje Instituto dos Cegos), criada pela Sociedade de Assistência aos Cegos, com a cooperação da Legião Brasileira de Assistência - LBA e do Rotary Club de Fortaleza. Discursaram o Padre Arquimedes Bruno e Raimundo Girão.

14/02/1976 - Morre em Fortaleza o ex-presidente do Rotary Club de Fortaleza, Hermano Chaves Frank, presidente da Chaves S. A. Mineração e Indústria e da Refranor - Refratários do Nordeste S. A.




Créditos e Fontes: Site Oficial do Rotary Club de FortalezaWikipédiaBlog do Padu, Portal da História do Ceará, Cronologia Ilustrada de Fortaleza, Arquivo Nirez




quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Um passeio na história pela Praia de Iracema - Literatura de Cordel (Parte V)



Praia de Iracema em 1956. Acervo Fátima Porto Belém


Luís Antonio de Aragão




APRESENTANDO AMIGOS E MORADORES DA PRAIA DE IRACEMA

É Ernani Barreira
Nosso Desembargador
Helio Rola e seus murais
Vescencio é bom editor.
No Estoril Cláudio Pereira,
Sua mesa era a primeira
Ali foi o frequentador



Arquivo Nirez

Dirige, Francisca a AMPI
Dedé e Acrísio presentes,
Vital, Marçal, Ascânio
E Edmundo, são pés-quentes
As bancas de Miti e Pedo
Abertas são muito cedo
Dando notícias recentes



O Poço da Draga - Arquivo Nirez

Poço da Draga é Iracema
A história é quem conhece
Valdomiro e Tapiocas,
Valmir, Fuampa, quem esquece?
San, Urso, Geralda, Paulão
João Brito, a Associação
Aplauso bem merece

Adeus Jamu e Peixoto
Tem, Cristina e Paulinho,
Jeová, Edílson e Caubi
Madalena e Betinho
Ronaldo, se foi Zezinho,
Pipiu, o mundo é moinho
Eurico, a vida é carinho



 Família do poeta Juvenal Galeno na praia de Iracema

Dunga Odakan, poeta
Serrão vive a cantar
Carlinhos Palhano, artistas
Gegê, fez bem comprovar
De Francesco Vicente,
Zeno fez “Canto da gente”
E Audifax, “Iracemar”

José Tarcisio, artista
No corredor do Dragão
Fez ali bela passagem
Da vida, continuação
D’Costa, poeta, cantor
Mágico das telas, pintor
Os dois, um só coração



Os jangadeiros cearenses homenagearam a memoria de Juvenal Galeno no 30º dia de sua morte, promovendo tocante solenidade em plena praia de Iracema. 
Jornal Correio do Ceará de 30/03/1952


Augusto, Paulo, Bastião
Petrônio, William Doutor
Bombinha, Quinquinha e Misso,
Banana é bom jogador
Baiaca, de Gato, sócio
Com Zé Guedes, o negócio
Não precisa fiador

D. Maisinha e Claúdios
Vicente, Ernani, Celsinho
Douglas, corvo, Pantico
César, Fernando, Chiquinho
Dandão e Marina daqui
Socorro, Milena e Caubi
Seu Ivã, nos curou tudinho




10 de maio 1936 - Homenagem prestada à memória de Juvenal Galeno, realizada pelos pescadores e jangadeiros cearenses ao seu eterno cantor na praia de Iracema.

Jandira, Anselmo, Caubi
Por Ted e Jabá, se sente
Puraquê, Capão e Leco;
Mário e Luis, docemente
Passaram a outras vidas
Elias, tais pessoas queridas
Eram gente da gente

Trave pequena de pedras
A Praia toda rachada
Na quadra ou piscininha
A canela se descascava
Perna de pau ou craque
Vibrava defesa e ataque
Só o gol interessava



Iracema em 1950- Arquivo Nirez

Ari, Odilon, Joel e Léo
“Tadeus”, Airton e Miltão
“Nenéns”, Jean, Góes, Rui
Veri, Marinho, Chico, João
Dedé, Wilson, Paninho
Kleber, Z’Aires, Netinho
Toin, Luciano e Elmir Gavião

Celina, Noima e Lurdes,
Umberto, Boiadinha
Vanda, Celsa, Mazéveras
Norma, Vitória, Verinha,
Maranguape de apreço
Ozinco, alguém esqueço?
Perdão à Praia todinha

Lúcio e Fernando o Surf
Com Bibita incentivaram
Zé Edson, Wilson, Aragão
“Banda Iracema” formaram
Mestre Pio na bateria
Na quadra da noite ao dia
Todos no bairro dançaram


Praia de Iracema em 1982 - Gentil Barreira

Jornalzinho “A Voz do Catra”
D’um grupo Catraieiro
Homem da torre sabia
A vida do povo inteiro
E a “Rainha da Madeira”
Não gostou da brincadeira
E o jornal foi prisioneiro

Na Sauna, Cultura Física
Turma boa ia malhar
Coco verde gelado
João, seu facão a cortar
Futebol com Noé e Cordeiro
Não havia jogo inteiro
O pau era certo cantar

Aurílio Gurgel o nome
Daquele da boemia
Responsável e respeitável
Dumaresq conhecia
Jânio e Lincoln, com atitude,
Valdêncio o clube não mude
“Casa é do Mincharia



Arquivo Fortaleza Nobre

Dos Mercadinhos São Luís
Na praia já fez teto
Uma bela família
Pessoal muito correto
Com Deus Ramalho está
Tem Fernando e Cacá
Lembranças mando pro Neto

D’Iracema se avista
Bar da Dona Mocinha,
Primeira Dama do Samba
Até no Rio é Rainha
Vinte e cinco anos são
Do Bar dela, que é Leão
Sabe a Fortal todinha



Raimundo Fagner

Bênçãos quero pedir
Fagner e Belchior,
SávioDílsonEdnardo
E tudo o que é cantador,
Bernardo, cultura viva,
Com Marreco e Beija-Flôr



Belchior

Viaja o bom revisor
Professor Túlio Monteiro
Com Klevisson na Jangada
Que o vento leva ligeiro
Zé Maria cordelista
Poeta e repentista
É também um passageiro

Jornalista Carlos Paiva
Em espírito presente
Airton Monte escreveu
Uma crônica inteligente
Gervásio Paula em abril
Narrou queda do Estoril
Em reportagem envolvente




Secretários de Cultura
O poeta Barros Pinho
FUNCET na praia faz
Um trabalho de carinho
Do estado, Claudia Leitão
Aqui o grande “Dragão”
Em Iracema fez seu ninho

Dr. Lúcio, Governador
Dr. Juraci, Prefeito
O som de poucos bares
Muito mal a nós tem feito
Alguns fogem das lutas
Culpando as prostitutas
Isto é um grande defeito

Existe a Lei do Silêncio
É do Código Brasileiro
Foi feita para ser cumprida
Por nós ou pelo estrangeiro
Quem pensa que o Alvará
Anarquizar direito dá
Tem que ser preso primeiro.



LOUVAÇÃO A IRACEMA

Rua Ildefonso Albano
Dois bairros faz divisar
Meireles e Iracema
Praias do lindo lugar
Meireles, vento conduz
Iracema, sol reluz
São as estrelas-do-mar




Antiga sede do Círculo militar de Fortaleza na esquina da Avenida Raimundo Girão c/ Rua Ildefonso Albano - Acervo Cepimar

Atrás do Poço da Draga
Praia nasce à beira-mar
Vai a Ildefonso Albano
Até Monsenhor encontrar
O "Dragão" aparecendo
Ladeira se vai descendo
Com a índia a caminhar

Os nomes belos das ruas
Raimundo Girão criou
Assim nossos indígenas
O mesmo homenageou
Aquidabã Avenida
Que foi substituída
Por quem lhe historiou

São todas assim chamadas
TijipióPotiguaras
TupiArarius
CaririsTabajaras
GrairasGuanacés
Pacajus,Tremembés
Itapipoca e Jucás, raras

Há vinte anos estive
Com o Luiz Assunção
Que no piano tocou
Aquela linda canção
“Adeus Praia de Iracema”
Música mais que poema
Um hino de adoração




Tenho amor por Iracema
Ao mar digo meus queixumes
Do tempo que não é mais
Dos que já foram costumes
Dos males que a rodeiam
Das ilusões que a enfeitam
Do bairro tenho ciúmes

Iracema não confunde
Empresário e aventureiro
O primeiro aqui produz
É nosso companheiro
Pedimos ao segundo
Explorador do sub mundo
Vá embora “Raparigueiro!”

É a praia de Iracema
Capital de Fortaleza
Onde o verde-azul do mar
Sob o sol tem mais beleza
A Virgem dos Lábios de Mel
Com a Lua num painel
A moldura é a natureza

Navegando com Praianos
Inspiradores do tema
Numa jangada de versos
O Cordel traçou seu lema
Preservando na memória
UM PASSEIO NA HISTÓRIA
PELA PRAIA DE IRACEMA.

FIM

Leia Também:


Crédito: http://www.nehscfortaleza.com/




NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: