Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Boate Mystical - Rua José Avelino
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


segunda-feira, 1 de julho de 2019

Boate Mystical - Rua José Avelino

Fim dos anos 90, começo de um novo milênio, e a capital cearense ganhava na época uma boate irreverente, com shows de rock, teatro de sombras, apresentações de modelos com cobras vivas, festas inesquecíveis como “Baile de Máscaras” e “Culto a Baco”…

Localizada na Rua José Avelino, 62, próximo ao Dragão do Mar, a excêntrica Boate Mystical (filial da Mystical de Belém do Pará¹) envolvia misticismo e muita música tecno. As festas temáticas tinham bebidas exóticas e atrações cheias de sensualidade. 

A antiga propaganda da boate na televisão era bastante conhecida dos fortalezenses, citando o famoso "Esperma do Morcego", uma bebida vendida na boate. 
O ambiente da Mystical era marcado por sua decoração, toda ela criada pelo proprietário, André Luís Portela Darcier Lobato, o “Kaveira”, e sua equipe, onde o foco da atenção era a dualidade existente entre as forças do universo, com destaque para o bem e o mal.

A boate era dividida em dois ambientes térreos: nas paredes e teto do "Céu" haviam desenhos fluorescentes de figuras e símbolos "de cima"; no "Inferno", os desenhos pareciam ter saído da visita de Dante Alighieri ao inferno, relatada em sua obra "A Divina Comédia".

Acervo Igor Studart
Fachada na época da boate e em 2016
Na verdade, tudo não passava de uma grande brincadeira, muito bem detalhada no site oficial da boate, hoje fora do ar: 

"...Buscamos representar os tormentos atrozes do inferno, que destinam-se a causar terríveis sofrimentos, e transformamos esse mundo de trevas na melhor casa de diversões de Fortaleza, onde imperam a alegria e o sadio entretenimento.
Atrás da Bar Girl que atende "no céu", de vez em quando a luz acende e pode-se ver através da "vitrine" um banheiro com privada e tudo. E, nele, uma mulher toma banho só de calcinha, touca e máscara cobrindo-lhe todo o rosto. Junta gente pra ver. Eles acabam de descobrir o "Banheiro do Voyeur".



Propaganda que passava na TV União

Ontem e hoje
As Jaulas eram outro destaque do ambiente da Mystical. Suspensas no espaço, elas eram os locais preferidos das pessoas que gostavam de se exibir enquanto dançavam.
Todos os fins de semana, no ambiente da Boate Mystical, o bem triunfava sobre o mal, na forma de alegria e descontração. 
A Casa era temática, ímpar, cujo tema principal eram os ícones do misticismo. Era toda ornamentada por pinturas e esculturas de deuses, semi-deuses e divindades de diversos cultos e religiões.

Além dos dois grandes salões: Céu e Inferno, já citados, a boate agregava ainda uma interessante variedade de ambientes como o Limbo das Pegações, um corredor escuro, com as paredes cravejadas de buracos, onde os frequentadores podiam exercitar o sentido do tato. Na parte superior, ficava localizado o Cinema, onde aconteciam sessões ininterrupta de filmes bizarros, capazes de deixar o cineasta Pedro Almodovar de queixo caído.


Para que os frequentadores pudessem relaxar após desfrutarem da pista de dança, havia a "Galáxia", com duas grandes camas, alguns sofás e os tubos do voyeur, através dos quais podiam ser observados casais namorando.
A Capela era o ambiente em que ficava o confessionário, destinado a receber as confissões dos pecados dos frequentadores, onde costumeiramente aparecia o Reverendo Kaveira, para ouvir as confissões e conceder as absolvições.
A Masmorra era uma câmara medieval de tortura, equipada com os mais terríveis instrumentos da Idade das Trevas, muito apreciada pelos admiradores do Marquês de Sade².


O Sarcófago possuía um caixão de casal, magnificamente decorado em tons de lilás, que adicionava mais um ingrediente sinistro ao ambiente mórbido da boite.
O ambiente do Necrotério era dominado por uma legítima mesa de autópsias, por onde já passaram mais de cem mil "cadáveres". Para a cena ficar o mais real possível, nem a indispensável torneirinha para lavar os "corpos", foi esquecida.

Além da Capela e do Consultório Exotérico, destacava-se o Palco, onde aconteciam as surpreendentes performances dos talentosos atores da casa.


A Mystical foi um projeto de entretenimento noturno de André Dacier Lobato, o Kaveira, que aliava música, teatro, cinema e fetiche. Criada originalmente em Belém no início da década de 90, a boate ficou por vários anos promovendo uma revolução comportamental, foi palco de várias festas temáticas e até hoje é lembrada pelos comerciais de TV que viraram “jargão”

Logo na entrada um minotauro recebia os convidados que entravam na casa e passavam a conhecer a capela, o sarcófago, a masmorra, o necrotério, o limbo das pegações, o corredor lambix e consultório espiritual. "O local era um mergulho no imaginário, nas fantasias dos frequentadores, que realizavam seus maiores desejos e presenciavam experiências únicas”, relembra Kaveira. Quem entrava na Boate Mystical pela primeira vez sentia o baque. 



Necrotério
No site oficial da boate, era possível ter uma ideia do que  esperar ao visitar a casa:

"Primeiro a gente fica estático, surpreso, vacilante na escuridão quase absoluta. A mente tenta reagir e sai em busca de um referencial para um indispensável passeio pela casa. O ambiente da Boate Mystical é escuro e chocante. Ao som vibrante do Techno, o laser atravessa a névoa que se espalha por toda a casa. Nas paredes e no teto, pinturas de figuras mitológicas, de uma nitidez impressionante. Entre elas, Terseu espia os pagãos que se divertem na pista de dança. Em uma vida passada, Kaveira foi Dante, ou jamais teria conseguido idealizar, construir e decorar a Mystical. Ninguém conseguiria recriar com tanta fidelidade os círculos do inferno de "A Divina Comédia", senão a reencarnação viva do viajante das trevas. Numa das escadas que levam ao andar superior, Anubis orienta os frequentadores que buscam o repouso no sarcófago. Tendo Cérbero a seus pés, Zeus, o deus maior de todos os gregos, abençoa as noites pagãs da Boate Mystical."


Em 2005, a boate estreou o espetáculo Lucíferos - Sagrado ou Profano?, com a Companhia de Teatro Raízes
O trabalho - uma performance teatral coreográfica - girava em torno de três personagens distintos: Lucíferus, Cristo e Lujoma, uma espécie de profeta maluco, como fazia questão de lembrar o diretor e co-autor do trabalho, John White. Além disso, a animação da noite ficou por conta do Dj Mascarado. 




Os anfitriões da Mystical eram Élida Braz e André Lobato "Kaveira", que na época eram namorados e estavam juntos há dez anos. André é um experiente empresário da noite: é ator e diretor, além de ser Bacharel em Direito e formado em Geografia pela Universidade Federal do Pará. Inteligente e dono de invejável currículo, Kaveira descobriu que não podia passar o resto da vida numa sala de aulas ou nas barras de algum tribunal. Sua paixão pela arte o conquistou para a noite, onde brilhou como ator, e onde era o centro das atenções, no papel de anfitrião da Boate Mystical. 


Apoiado numa plataforma liberada, André "Kaveira" candidatou-se e foi eleito Vereador pelo município de Belém do Pará. Cumpriu integralmente o mandato de janeiro de 1996 a dezembro de 2000 quando, decepcionado, abandonou a política com a frase que bem definiu as câmaras municipais de todo esse Brasil: "Esta casa é a quintessência do inferno, onde se realizam negociatas capazes de surpreender o mais velhaco dos demônios". 

Élida Braz

Se o Kaveira era o cérebro, Élida Braz era o coração da Mystical. Sensível e romântica, ela é escritora e poetiza, autora de versos capazes de tocar profundamente corações e mentes. Tendo já exposto poemas e contos em vários redutos da cultura nacional de norte a sul do país. Atriz, ela já pisou com sucesso nos melhores palcos da vida, que vão da descontraída Mystical, ao Teatro da Paz, em Belém do Pará, um dos templos mais sagrados da dramaturgia brasileira. No cinema, Élida integrou o movimento "Cinema Novo Paraense", estrelando os filmes "Lendas Amazônicas", "Cobra Grande" (convidado para o Festival de Cinema de Vitória) e "O Boto" (que representou o canal GNT no New York Film Festival), exibidos nas telonas do Brasil, Inglaterra e França
Na Mystical, Élida brindava os frequentadores como atriz principal dos pocket shows que tornavam o palco da Boate o centro das atenções das noites cearenses. 

Programação de uma semana na Mystical
Matéria antiga do Diário do Nordeste sobre o
fechamento da boate em uma operação policial.
Após 5 anos, a boate itinerante Mystical deixava a capital alencarina...

Em março de 2010, Kaveira e Élida retornaram à cidade para rever amigos e conferir novos projetos na terra do sol. Muito se especulou se seria o retorno da controvertida casa noturna à capital cearense. 

“Não sei se será agora, mas temos um imenso carinho pelos cinco anos que estivemos presentes no Ceará, e pretendemos voltar sempre”, afirmou na época André Lobato, o Kaveira, que mantém a Mystical em Belém do Pará, somente para festas fechadas.

Em 27 de junho de 2014, de acordo com o Blog Cine Negócios, o filho do ex-vereador e promotor de eventos, André Lobato Filho, pedia ajuda ao Ministério das Relações Exteriores (MRE) para localizar o pai e sua mulher, Élida Braz, que teriam desaparecido na fronteira entre os EUA e o México. De acordo com o filho, Kaveira e Élida gravavam um documentário quando teriam sido assaltados. O Itamaraty dizia ter sido informado do desaparecimento pelo consulado-geral do Brasil na Cidade do México, e que havia entrado em contato com a polícia para localizar o casal. 

Após quase uma semana, sem dar notícias aos familiares e amigos, Élida Braz e o ex- vereador utilizaram uma conta em uma rede social para informar o que teria acontecido com eles na fronteira dos Estados Unidos com o México. 
Segundo postagem no Facebook, Élida contou, sem detalhes, que o casal estava bem de saúde, e que ambos foram vítimas de uma emboscada por parte de coiotes, quadrilha que atua na região da fronteira com o México com os Estados Unidos. Na postagem, Élida conta que, depois do ocorrido, o casal estaria relaxando na Nicarágua.

Foto: Magno Torres
Foto: Magno Torres
Foto: Magno Torres
Com o fechamento da Boate Mystical, André Kaveira virou cineasta e atualmente mora no Rio de Janeiro. Em maio de 2019, André, agora separado de Élida, esteve novamente na Terra do Sol, desta vez para lançar uma nova Dj e relembrar os tempos da sua boate na festa Uma Noite Mystical, que aconteceu dia 1º de junho, na recém-inaugurada Boate Club Viva, na Praia de Iracema (Rua Dragão do Mar 198 - ao lado do Órbita).



¹A Mystical Belém


A Boate Mystical foi fundada em 1999, em Belém do Pará, em um galpão antigo da zona portuária. Tinha como diferencial as apresentações teatrais que aconteciam em um grande palco que ficava no final da boate. No ano 2000, a boate é consumida pelo fogo.

O incêndio da Mystical, foi o mais grave registrado na cidade em muitos anos e resultou numa vítima fatal. André “Kaveira” Lobato, proprietário da boate, lembra que o incêndio se deveu a uma performance feita pelo partner de um artista que se apresentava na ocasião. “Sem nos comunicarem, amarraram palha de aço em fios de algodão, acenderam e começaram a rodar com a tentativa desastrada de causar um efeito pirotécnico. Os pedaços em chamas começaram a se soltar e grudar nas panadas, cortinas das coxias, cenários e no teto, que tinha o isolamento acústico feito todo com espumas, único método acústico conhecido na época”.
Seguranças tentaram apagar o fogo com extintores em vão. “No momento, haviam milhares de pessoas na boate. Orientamos os presentes a saírem imediatamente do local. Todas as saídas de emergência foram abertas e a evacuação foi feita. Em três minutos, a boate estava vazia”, lembra.
Mas um homem que estava de passagem por Belém a trabalho perdeu sua vida carbonizado. “Entramos na boate várias vezes para ver se não tinha mais ninguém, mas ele não foi localizado, pois estava dormindo bêbado atrás de um sofá no mezanino”, rememora o empresário. Kaveira respondeu judicialmente durante dez anos um processo de homicídio culposo e foi absolvido no final. 


²Marquês de Sade, o homem que deu origem à palavra “sadismo” e passou um terço de sua vida preso. Dizem que suas experiências sexuais eram um tanto incomuns.




Leia também:




Fontes: Antigo Site da boate (Hoje Fora do ar), Conceituado.com/ Diário do Pará/ Diário do Nordeste/Divirta-Ce 

2 comentários:

  1. Fiquei curioso pra ler a matéria que trata do fechamento da boate..qual foi o ano e por que ocorreu?

    ResponderExcluir

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: