Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Avenida da Universidade - As ruas e suas modificações



Avenida Visconde de Cauhípe (Avenida da Universidade) - Assis Lima

"A Avenida da Universidade no Siará Grande era uma artéria aberta pelos holandeses que, queriam no olho chegar a bonita serra azul: Maranguape. Só que quando chegou a Porangaba se toparam com uma linda lagoa e surgiu a primeira bifurcação em Y que a cidade registra.* Os exploradores holandeses encontraram próximo outra lagoa: a de Maraponga. E as abertura foram dos dois lados. Uma chegou a serra e a outra ficou em Mondoig = Mondubim. A aventura de chegarem à Pacatuba não se concretizou. Em revista ao percurso encontrado, o Senador Alencar pai do romancista José de Alencar, achou interessante o potencial econômico dos locais descoberto pelos flamengos e os recursos hídricos que eram as belas lagoas. Não hesitou e assinou em 1836, decreto autorizando à Província seu alargamento num largo que se denominaria Praça da Bandeira. Essa foi a primeira rua aberta para o interior na época. Com a abertura a coisa foi sendo urbanizada e assim nasceu o nome Benfica, pois, se tinha uma visão privilegiada.

Mesmo trecho da foto anterior em data diferente - Assis Lima

Arquivo Nirez

Como parece que tudo que é bonito é efêmero, a imposição política nocauteia o que é de interesse e satisfação do povo. Os nomes de ruas eram mais bonitos, românticos. Na posteriori e com pedras toscas, colocaram o nome de Avenida Visconde de Cauhípe homenageando Severiano Ribeiro da Cunha (1831-1876). Natural de Caucaia ele era comerciante e Filantropo. Havia exercido vários cargos políticos sem filiação partidária. A Universidade Federal do Ceará foi criada oficialmente pela Lei N° 2 373, de 16 de dezembro de 1954, e instalada em sessão no dia 16 de junho de 1955. Aí pela localização denominou-se devido ao complexo de prédios com salas de ensino superior, Avenida da Universidade. Aliás, não gosto de chamar de Avenida, ruas de mão única. Bons nomes nunca devem ser esquecidos. Estão cogitando para que a Avenida da Universidade seja chamada de Antônio Martins, magnificência exordial na reitoria do Ceará, bem como a Rua Baturité (antiga Escadinha) se chame Christiano Câmara. Nada mais sugestivos. Agora tomemos cuidado para que esses nomes, não tirem da Avenida e/ou Rua a sua essência."

Assis Lima


* "Nesse mapa de Ricardo Carr de 1649, vê-se que a bicuração no caminho/picada indígena ficava depois do "Rivier genamt Itapeba" ( rio Maranguapinho ou Siqueira)." J Terto de Amorim

"A lagoa desse mapa é a do Mondubim. A lagoa da Maraponga não é uma lagoa de origem, mas um açude originalmente." J Terto.
 Conforme o círculo vermelho no mapa

"Nesse mapa de Baltazhar Gerbier de 1650/55, também vemos a mesma birfucação depois do nosso rio Maranguapinho/Siqueira, ou como Bergier citou : "La grande Riviere apelleé Ytapeha, pleine de Rochers". Círculo vermelho no mapa."    J Terto de Amorim

Conforme o círculo vermelho no mapa

 

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Excelsior em detalhes - Parte III



Terminando nosso passeio pelo Excelsior hotel... 
Falar da emoção seria complicado, não tenho nem palavras para descrever tudo que senti ao adentrar cada cantinho adormecido do nosso gigante!
Continuo na torcida para que ele volte, o mais breve possível, a abrir suas portas e fazer muitos outros olhos brilharem com tanta beleza!!!


Chegamos no último andar antes do terraço.




 A praça vista do Excelsior.

A imponência do Palacete Ceará.

Em um dos quartos do último andar.

 Que privilégio teve o hóspede que aqui ficou...


Detalhe da pintura do que devia ser um armário ou guarda-roupa embutido...


O quarto 710

  A poeira do tempo que não perdoa...

Chegamos ao terraço



O terraço virou um grande depósito

 A vista desse ponto é deslumbrante, é como se Fortaleza repousasse aos pés  do Excelsior...


Antigos vitrais


O balcão do Bar Americano. De tão conservado, parece que os clientes haviam acabado de se retirar...

Essa escada vai para a casa de máquinas. Lá ficam as rondanas dos cabos de aço dos elevadores.



As letras que formavam o nome EXCELSIOR do antigo letreiro que ficava na fachada.
 

O antigo letreiro ainda novinho nos anos 70.

 Uma das cadeiras do Bar Americano.


Nossa catedral vista do terraço do hotel.









Bom, é isso, foi incrível! ◕‿‿ ◕
Espero ter a oportunidade de visitar mais prédios históricos!

Leia:

Excelsior Hotel - 85 anos

Veja também:

Parte I 

Parte II

Fotos: Rodolfo de Oliveira Paiva 
 Resultado de imagem para leila nobre

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Excelsior em detalhes - Parte II


Continuando a nossa viagem ao passado, não a bordo de uma máquina do tempo, mas adentrando no nosso querido Excelsior Hotel, do início da década de 30:


No primeiro andar funciona o Restô Paidégua e a sede do Consulado da Hungria (Porta ao fundo).


Vista do quarto onde esteve hospedada a aviadora Amélia Earhart

Foto feita do mesmo quarto por Amélia. A rua é a Major Facundo, antiga rua da Palma.



Detalhe da fachada pela Guilherme Rocha


Antigo eletroduto em ferro

 Botão do elevador 


Um dos extintores. O tempo parece que não passou...

Em cada andar, um detalhe diferente nas sacadas





 Um dos quartos do sexto andar


O guarda-roupa antigo


 Vista para a rua Major Facundo

  A Praça do Ferreira vista da sacada do hotel



Assim como as sacadas, alguns detalhes mudam de andar para andar, como o guarda-roupa.




Continua...

Leia:
Excelsior Hotel - 85 anos

Veja também a Parte I

Fotos: Rodolfo de Oliveira Paiva 
 Resultado de imagem para leila nobre