Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Maio 2012 [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


quarta-feira, 30 de maio de 2012

Clube Líbano Brasileiro - Fatos Históricos



O Clube Líbano na rua Tibúrcio Cavalcante, 271 - Foto de 1956 do Arquivo Nirez

Em 17 de março de 1923, é fundada a União Síria, funcionando em prédio na Rua Major Facundo nº 55 (altos).
Depois, a União Síria juntou-se à União Libanesa, formando a União Sírio-Libanesa, quando se mudou para a Avenida Santos Dumont, esquina com Rua João Cordeiro.
Quando mudou o nome para Clube Líbano Brasileiro, em 1947, mudou-se para a Avenida Santos Dumont, esquina com Avenida Barão de Studart, onde esteve até mudar-se para a sede própria, na Rua Tibúrcio Cavalcante nº 271.


No dia 15 de julho de 1947, nasce o Clube Líbano Brasileiro, sob a presidência de Aziz Ary (primeiro vice-cônsul libanês).


Década de 60 - Arquivo Pedro Leite


Em 22 de novembro de 1947, inaugura-se a sede provisória do Clube Líbano Brasileiro - seção do Ceará, na Avenida Santos Dumont nº 1028, na Aldeota.


Avenida Santos Dumont nº 1028, provavelmente local onde funcionou o Líbano na Aldeota - 
Foto Viny321


No dia 23 de abril de 1955, foi lançada a pedra fundamental da nova sede do Clube Líbano Brasileiro, na Rua Tibúrcio Cavalcante, na Praia do Meireles.

A equipe de basquetebol do Clube Líbano Brasileiro, enfrentou a equipe do Náutico em 21 de janeiro de 1955, quando o Náutico Atlético Cearense - NAC sagra-se tricampeão cearense de basquetebol, ao vencer por 41 x 36.
Quadros e cestinhas: Náutico: Chiquinho (4), Bruno (2), Carlos (10), Carlito (2), Newton (6), Luizão (10), Faria (1) e Bebeto (6); Líbano: Joca (1), Geraldo (11), Luciano (8), Pinga (10), Ferreira (1), Edilberto (5) e Fuzil.




Festa de coroação da Rainha da Imprensa
 no Clube Líbano Brasileiro em 18 de junho de 1960.  Foi coroada Regina Sampaio Meyer.




Em 17 de fevereiro de 1962, é coroada a Rainha da Imprensa, em festa realizada no Clube Líbano Brasileiro, Maria Luísa Barbosa Chaves (Maria Luísa Chaves), e as princesas Stela Cabral de Araújo e Ismene Soares, com atuação da cantora Leny Eversong e do tenor Vicente Celestino.  

No dia 04 de julho de 1966, morre aos 63 anos de idade, o comerciante Aziz Ary, cônsul do Líbano no Ceará, um dos fundadores e ex-presidente do Clube Líbano Brasileiro.  Nasceu em Zahle, Líbano, em 16 de abril de 1903, vindo em 1909 para o Brasil com seus pais, que se fixaram no Ceará. Casou-se em 1932 com Neuza Romcy, de cujo consórcio houve 9 filhos.


x_3b8aa0bbx_3b8a251a

Fontes: Cronologia Ilustrada de Fortaleza e Revista do Instituto do Ceará 
(Histórico, Geográfico e Antropológico) - 1985

quarta-feira, 23 de maio de 2012

De Serviluz a Coelce - A Companhia Energética do Ceará


Em primeiro de fevereiro de 1965, chega finalmente a Fortaleza, a energia da Usina Hidrelétrica de Paulo Afonso, às 18h30min, na Praça dos Libertadores, no Otávio Bonfim, com a presença do presidente da República, general Humberto de Alencar Castelo Branco.

Praça dos Libertadores, no Otávio Bonfim, local da chegada da energia elétrica. 
Foto de 1963  - Arquivo Nirez

Desde 1912 a Capital era servida pela luz e força da Light, companhia inglesa que explorou o bonde, ônibus, além de luz e força, sempre com precariedade.
A empresa foi municipalizada, transformou-se em Serviluz, Conefor e finalmente em Coelce.

Promissória Ceará Tramway Light & Power Co. Ltda - Acervo Carlos Juaçaba


Usina Elétrica Serviluz no Mucuripe. Década de 50/60 - IBGE


Naquele dia chegava a energia da Companhia Hidro-Elétrica do São Francisco - CHESF.
A cerimônia da chegada da Luz de Paulo Afonso realizou-se com discurso do Governador Virgílio de Moraes Fernandes Távora (Virgílio Távora) e ligação da chave da luz pelo Presidente Humberto de Alencar Castelo Branco.

Quando foi criada a CHESF, em outubro de 1945, sua área de concessão abrangia um “circulo de 450 km de raio a partir da usina a ser construída em Paulo Afonso”. Incluía, portanto, Salvador, Aracajú, Maceió, Recife e João Pessoa. Excluía Fortaleza e grande parte do Ceará.

Em 1960, a energia hidrelétrica produzida em Paulo Afonso passou a suprir a região sul do Ceará, incluída no “círculo” original. Para a distribuição da energia fornecida pela CHESF, foi criada a CELCA - Companhia de Eletricidade do Cariri, empresa de economia mista, subsidiária da SUDENE, mas com a participação acionária da própria CHESF, de Prefeituras municipais da região e, em escala bem menor, de particulares. Em 16 de setembro de 1960 era criada a CENORTE - Companhia Centro-Norte de Eletrificação do Ceará, empresa também de economia mista cuja maioria acionária era em sua quase totalidade do Governo Estadual, a qual pelo fato de não dispor de energia, muito pouco fez nos seus primeiros anos de existência. Ainda em 1960, o serviço público de energia elétrica em Fortaleza era operacionalizado de forma precária, pela SERVILUZ - Serviço de Luz e Força de Fortaleza, a partir de energia gerada por usinas termelétricas. 
A SERVILUZ era uma autarquia pertencente ao município de Fortaleza, resultante da encampação da antiga Ceará Tramways, Light & Power. No restante dos municípios do interior cearense, onde existia o serviço de energia elétrica as próprias prefeituras o realizavam por administração direta, a partir de pequenos e precários grupos geradores, dentro de horários restritos, geralmente das 18 às 20 horas.

 
Prédio do antigo Hotel do Norte que já abrigou a Coelce. 
Situado em frente ao Passeio Público, na esquina das ruas Floriano Peixoto e Dr. João Moreira. Anos 40 - Livro Royal Briar

O prédio atualmente

Em 1962 o controle acionário da SERVILUZ passou da prefeitura de Fortaleza para a ELETROBRÁS, quando então a empresa transformou-se na CONEFOR - Companhia Nordeste de Eletrificação de Fortaleza. Paralelamente, a SUDENE criava a CERNE - Companhia de Eletrificação Rural do Nordeste, que passou a atuar também no Ceará, mas apenas em algumas cidades na região do baixo e médio Jaguaribe e na serra da Ibiapaba, na fronteira com o Piauí, produzindo e distribuindo energia proveniente de pequenos grupos geradores termelétricos.

Em 1964, aconteceu a chegada da energia de Paulo Afonso em Fortaleza. Na época, este foi um feito extraordinário dos técnicos da CHESF, uma realização importante da engenharia elétrica brasileira e uma conquista inesquecível do povo cearense: ficaram implantadas as condições básicas para que todo o Ceará pudesse contar com os benefícios da energia da CHESF. Nessa época, o Governo Estadual dotou a CENORTE de condições operacionais adequadas.

Vista aérea da usina de Paulo Afonso, que abastece o Ceará - 
Acervo do Blog do Eliomar de Lima

Quando a expansão do sistema já estava em fase avançada, pois a energia distribuída já representava quantidades significativas de MWh e o consumidor passava a ser um dependente muito direto e exigente da qualidade do serviço oferecido, impunha-se uma mudança de rumos. A expansão não poderia parar ou mesmo diminuir o ritmo, deveria continuar de forma acelerada, para proporcionar ao maior número possível de cearenses os benefícios da energia elétrica da CHESF. Mas a operação eficiente e econômica, bem como uma manutenção adequada do sistema não poderia ser relegada ou postergada. Deveria ser inserida no rol das prioridades básicas do Estado. Com esse objetivo, o Governo do Ceará criou, mediante lei estadual de 05 de julho 1971, a COELCE - Companhia de Eletricidade do Ceará, autorizada a funcionar pelo Decreto Federal 69.469 de 05 de novembro de 1971.

 
Desde o ano de 1976, o prédio da sede do Sport Club Maguary, localizado na Rua Barão do Rio Branco, pertence à Companhia Energética do Ceará (Coelce). Posteriormente, a administração passou para a Fundação Coelce de Seguridade Social (Faelce). 
Foto de Luana Andrade

Em 13 de março de 1987 a COELCE mudou sua razão social para Companhia Energética do Ceará, ampliando seus horizontes de atuação, passando a considerar todas as potencialidades energéticas locais como insumos para o desenvolvimento do Ceará.

Uma vez criada a COELCE, a ela foram incorporadas: a CENORTE (em 07/04/72), a CELCA (em 23/11/72), o acervo local e parte do pessoal da CERNE (em 23/02/73) e por fim a CONEFOR (em 04/05/73), com o Governo do Estado do Ceará mantendo o controle acionário da empresa, já que proprietário majoritário das ações ordinárias com direito a voto. Devido às parcelas das quotas estaduais do Imposto Único sobre Energia Elétrica - IUEE recebidos pelo Ceará e aplicadas integralmente pelo Estado na COELCE, em poucos anos foi ampliada a maioria acionária da participação estadual no capital da empresa, já que os demais acionistas limitavam-se a reaplicar seus dividendos garantidos pelas ações preferenciais.

Sede da Coelce na Rua Padre Valdevino

A Coelce na atualidade

2000 - 2006
Período de investimento significativo no reposicionamento de imagem e planejamento estratégico, visando à contínua expansão e melhoria dos serviços, com foco no relacionamento com o cliente e no lançamento de produtos e serviços, em resposta ao crescimento do mercado e suas necessidades.
Em 2006, o compromisso com ações de responsabilidade social classifica as ações da Coelce como ações preferenciais classe A no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bolsa de Valores de São Paulo.
Também em 2006 a Coelce conquista, pela primeira vez o título de Mehor Distribuidora de Energia Elétrica do Nordeste, em premiação realizada pela Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee).
2007
Ressaltando o resultado de um intenso trabalho de aproximação com o clientes e melhoria contínua da qualidade dos serviços, a Coelce lança uma nova plataforma de imagem - "A nossa ideia é conhecer você" - marcando o fechamento do ciclo de reposicionamento junto à sociedade. Pelo segundo anos consecutivo, Coelce é eleita a Melhor Distribuidora de Energia do Nordeste (Prêmio Abradee).
2008
A empresa passa a utilizar um novo conceito de assinatura de marca: Coelce - Cada vez mais próxima de você. Ao mesmo tempo, moderniza e adequa toda sua rede de atendimento para garantir um serviço cada vez melhor e mais acessível aos clientes.
Nesse ano, a empresa ganha destaque mundial com o projeto Ecoelce, que possibilita a troca de lixo reciclável por bônus na conta de energia. Ele foi um dos dez ganhadores do prêmio World Business and Development Awards, da Organização das Nações Unidas, pela sua contribuição para o desenvolvimento sustentável.
Mais uma vez, a Coelce é eleita, pelo terceiro ano consecutivo, a Melhor Distribuidora do Nordeste (Abradee) e permanece entre as 150 Melhores para Trabalhar (Guia Exame-Você S.A.).
2009
Coelce conquista o título de Melhor Distribuidora de Energia do Brasil e mantém, pelo quarto ano consecutivo, a primeira posição no ranking das melhores da região Nordeste.


Fotos e croqui da Usina Elétrica Serviluz - Mucuripe 

 Croqui da Serviluz. Foto do livro sobre as obras da Prefeitura Municipal de Fortaleza em 1953. Acervo Alex Mendes

Foto do livro sobre as obras da Prefeitura Municipal de Fortaleza em 1953. 
Acervo Alex Mendes
 
 Foto do livro sobre as obras da Prefeitura Municipal de Fortaleza em 1953. 
Acervo Alex Mendes
 
 Foto do livro sobre as obras da Prefeitura Municipal de Fortaleza em 1953. 
Acervo Alex Mendes
 
 Foto do livro sobre as obras da Prefeitura Municipal de Fortaleza em 1953. 
Acervo Alex Mendes
 
 Foto do livro sobre as obras da Prefeitura Municipal de Fortaleza em 1953. 
Acervo Alex Mendes
 
 Foto do livro sobre as obras da Prefeitura Municipal de Fortaleza em 1953. 
Acervo Alex Mendes


Fonte: http://www.ilumina.org.br, Cronologia Ilustrada de Fortaleza de Miguel Ângelo de Azevedo e Portal Coelce



sábado, 19 de maio de 2012

Teleceará - Telecomunicações do Ceará - S/A



Em setembro de 1891 é instalada a Empresa Telefônica do Ceará, para atender a capital Fortaleza, sob a responsabilidade da firma Pamplona, irmãos e Cia.

Criada pela lei estadual nº 3.934, de 3/11/1971, a Companhia Telefônica do Ceará - Cotelce, que incorporou a Companhia de Telecomunicações do Ceará - Citelc e a Companhia Telefônica de Fortaleza - CTF.



Edifício Sede da Teleceará na Av. Borges de Melo, 1677

Em 26 de maio de 1972 a portaria ministerial nº 331 designou a Cotelce como empresa-pólo de integração das demais empresas concessionárias de telecomunicações no Estado do Ceará.

A partir de 18 de maio de 1973, deixou de ser sociedade de economia mista e passou a ser uma sociedade anônima de direito privado, subsidiária da Telebrás e vinculada ao Ministério das Comunicações.

 
1979 - Ato de inauguração do Centro de Operações. Um dos mais modernos do Brasil.
Presentes o Ministro das Comunicações Haroldo Correia de Matos, o Presidente da Telebrás General Alencastro e Silva, o Presidente da Teleceará General Clovis Alexandrino Nogueira, Eliardo Ximenes Rodrigues – Diretor Administrativo, Assis Barbosa – Diretor Técnico, Tarciso Faria F. e Silva – Diretor Econômico Financeiro e Edinardo Ximenes Rodrigues. Arquivo Robério Soares



1979 - Ato de inauguração do Centro de Operações - Arquivo Robério Soares


Por decisão da assembléia geral extraordinária de acionistas, em 13/12/ 1974, mudou de denominação para Telecomunicações do Ceará S/A. - Teleceará. Era uma sociedade anônima de capital fechado, prestando serviços de telecomunicações nos setores de telefonia básica urbana e interurbana, telefonia móvel celular e comunicação de dados: atendia a 1055 localidades em todo o Estado do Ceará e conta com um capital social composto por 2.050.220.997 ações (31.12. 1996), das quais a Telebrás detinha 79,44%.

Lojas da Teleceará


Sede - Av. Borges de Melo, 1677


Av. Santos Dumont, 2849 - lojas 1 a 3 - Aldeota


Rua Sena Madureira, 1020 - Centro


Av. Bezerra de Menezes, 2211 - Bezerra de Menezes


Av. Min. Albuquerque Lima, 775 - Conjunto Ceará


Rua 41, 531 2a. Etapa - Conj. Pres. José Walter

Serviços Básicos

Cartão telefônico 1998 da Teleceará - Acervo de Carlos Alberto G. Vieira

  • Tráfego DDD/Local
  • Plataformas de voz e texto
  • Débito Automático em Conta Corrente
  • CPA
  • BINA

 
Posto Móvel com ligações urbanas e interurbanas, a sensação do momento, presente nos grandes eventos do Estado, mais uma inovação da Teleceará uma empresa moderna, sempre a frente das demais, que oferecia serviços de qualidades a preços baixos. Arquivo Robério Soares


Orelhão Teleceará  em 1982 - Acervo Robério Soares

Teleceará  nos anos 80 - Arquivo Rádio Forró Brega

O Espaço Cultural da Teleceará

O Espaço Cultural Teleceará foi criado no dia 1º de setembro de 1986 com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento das artes, de uma maneira geral, no Estado do Ceará. Com esta meta, estimulou, difundiu e preservou atividades nas áreas das Artes Plásticas, Música, Teatro, Dança, Cinema e Vídeo, entre outros. Foi também em 1986 que surgiu o Concurso Talento, que já premiou 32 artistas e conquistou o respeito da comunidade como uma das mais importantes iniciativas de incentivo à produção cultural cearense. A décima edição do Concurso Talento foi lançada em outubro/96 e os autores dos três melhores trabalhos (modalidades de pintura, desenho e gravura) escolhidos por um júri, receberam em 27/11/96, cada um, prêmio no valor de R$ 2 mil. O Concurso Talento era aberto à participação de artistas plásticos, profissionais ou não, residentes e domiciliados no Estado do Ceará. Em dez anos de intensa atividade, o Espaço Cultural Teleceará realizou 636 eventos: 137 exposições (de artistas locais, nacionais e estrangeiros); exibiu 247 filmes nacionais e estrangeiros; vídeos; apresentou 99 musicais, além de espetáculos teatrais, de dança e recitais de poesias. O local era utilizado também para lançamentos de livros, feiras e palestras, principalmente das áreas de telecomunicações e informática. Compareceram a estes eventos mais de 139 mil pessoas. Criado e coordenado pelo Departamento de Comunicação Social, o Espaço Cultural Teleceará provou ser um eficiente instrumento de Relações Públicas da Teleceará.

 Acervo Robério Soares 

 

Privatização e compra pela Tele Norte Leste S/A

O Sistema Telebrás foi privatizado no dia 29 de julho de 1998 em função de uma mudança constitucional no ano 1995, e com a promulgação da Lei Geral de Telecomunicações, que visava a ampliação e a universalização dos serviços de comunicação e o enxugamento da máquina estatal brasileira. Desta forma, a Teleceará e sua subsidiária de telefonia móvel digital, Teleceará Celular, foram privatizadas. A Teleceará foi vendida para a Tele Norte Leste S/A, formando a Telemar, e a Teleceará Celular foi vendida para a TIM. Atualmente, a Tele Norte Leste S/A tem seus produtos comercializados com a marca Oi.


As telefonistas padrão da Teleceará em 1981 - Acervo de Robério Soares

Fatos Históricos:


  • 11 de fevereiro de 1883 - Inaugurada a primeira linha telefônica de Fortaleza, entre o estabelecimento comercial de Confúcio Augusto Pamplona (Confúcio Pamplona), na Rua do Major Facundo nº 59 (antigo) e a casa de José Joaquim de Farias, no Largo da Alfândega

  • 10 de setembro de 1891 - Inaugura-se a Empresa Telefônica do Ceará, de Pamplona, Irmão & Cia., que tinha à frente o comerciante Confúcio Augusto Pamplona (Confúcio Pamplona), com a presença do governador José Clarindo de Queirós e a oficialidade do Batalhão de Segurança. Começou com 60 aparelhos em assinaturas mensais. 


 
Funcionária em frente ao prédio da Teleceará em 1997 - Arquivo

  • 20 de março de 1899 - Dificuldades financeiras fazem com que a Empresa Telefônica do Ceará seja transferida para seus credores, formando-se uma sociedade anônima tendo à frente G. Gradhvoll & Filhos e Boris Fréres & Companhia, sendo primeiro gerente o coronel reformado Antônio Joaquim Guedes de Miranda.

 Consultores Teleceará - Arquivo Gilson Gomes


  • 10 de setembro de 1971 - Criada, pela Lei Estadual nº 9.510, a Companhia Telefônica do Ceará - Cotelce, que absorveu a Companhia de Telecomunicações do Ceará - Citelc e a Companhia Telefônica de Fortaleza - CTF. Depois foi Teleceará e, após a privatização, a Telemar. 

  • 13 de dezembro de 1974 - Nasce a Telecomunicações do Ceará S. A. - Teleceará, desaparecendo a Cotelce. 

 Funcionários da Teleceará - Acervo Robério Soares 

  • 05 de maio de 1976 - Vendido o prédio da Rua Sena Madureira nº 1020, esquina com Rua Monsenhor Luís Rocha, pela União Federal, à Telecomunicações do Ceará S/A.- Teleceará. No prédio funcionou a 25ª Circunscrição de Recrutamento do Exército. Hoje levanta-se no local moderno edifício de concreto armado. 



Posto da Teleceará em Acaraú (10 de janeiro de 1978) - Acervo do blog  Acaraú pra recordar


Prédio da Teleceará na Rua Sena Madureira.
A foto data da segunda metade da década de 30
Arquivo Assis de Lima


  • 07 de setembro de 1979 - Morre, vítima de enfarte, aos 62 anos de idade, o coronel Alexandrino Nogueira, presidente da Teleceará. 

 

Lançamento do Telefone Público em julho de 1982 - Robério Soares


  • 30 de novembro de 1993 - Implantada a Telefonia Móvel - Celular em Fortaleza, em solenidade que teve a presença do governador Ciro Ferreira Gomes (Ciro Gomes), do Ministro das Comunicações Hugo Napoleão, o prefeito de Fortaleza, Antônio Elbano Cambraia (Antônio Cambraia), e o presidente da Teleceará, Tarcísio Farias

 Patativa do Assaré em visita a Teleceará em 1992 - Acervo de Jader Gonçalves 

  • 30 de janeiro de 1998 - A Companhia de Telecomunicações do Ceará - Teleceará é dividida em duas empresas independentes, a Teleceará e a Teleceará Celular

 Funcionário Teleceará - Acervo Robério Soares 

  • 29 de julho de 1998 - No Rio de Janeiro realizou-se o leilão na Bolsa de Valores no qual foi privatizada a Teleceará Celular, que passa a ser controlada pelo Consórcio Itália Telecom e União Globopar Bradesco (UGB). 


  • Abril de 1999 - A Teleceará é privatizada passando seu acervo e serviços para a Telemar

x_3c78f5e5 

Mais fotos maravilhosas no blog da Teleceará do 


Fontes: Antigo Site da Teleceará, Cronologia Ilustrada de Fortaleza de Nirez e http://teleceara.blogspot.com.br

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: