Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Praça Cristo Redentor [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Praça Cristo Redentor


Recebeu essa denominação em 1922, em razão ao monumento que abriga uma coluna com Cristo no topo, com 35 metros de altura. É considerada uma das praças mais arborizadas de Fortaleza. Nela são realizados muitos eventos culturais por se localizar entre o Teatro São José e o Seminário da Prainha. Localização: Situada entre as ruas Rufino Alencar, 25 de Março, Franco Rabelo e a Avenida Dom Manuel, em frente à biblioteca pública e ao Centro Cultural Dragão do Mar.
Com a construção do Teatro São José ficou definido a área que passaria a ser urbanizada como uma praça no ritmo do Brasil Republicano e comemorando o Centenário da sua Independência, passando a ter praticamente a mesma forma que tem hoje.
No centro da praça foi erguido uma coluna/monumento de 35 metros de altura, montada sobre uma base cúbica. Desenvolvida sobre um eixo vertical gerado por uma escada com 115 degraus. Está revestida e decorada exteriormente com elementos jônicos, frisos, cornijas, moldura e outros detalhes executados com argamassa de cal e areia. Sobre sua base se encontram um conjunto de placas de mármore onde podemos ler a lista dos nomes dos amantes desta luminosa cidade praieira, vinculados à história da cidade através deste singelo e elegante monumento.


Foto aérea de 1930


A imagem do Cristo Redentor é de autoria dos escultores: José Rangel Sobrinho, José Maria Sampaio e Vicente Leite - pintor. A sua altura é de 2,70 m e está executada em alvenaria como o restante do monumento.


Foto rara de data desconhecida

O Círculo Operário São José foi responsável pelo “projeto” e execução do monumento. Tiveram como mestres: Antônio Machado, Domingos Reis, Severino Moura.
O monumento desde sua inauguração foi dotado de um relógio de quatro esferas, apontadas para os quatros pontos cardeais. Infelizmente a oscilação da coluna não permitiu o perfeito funcionamento do mesmo que foi transferido posteriormente para a Igreja dos Remédios.


Foto de 1896, a "Praça" não passava de um areal ao lado do Seminário da Prainha

Após a segunda guerra mundial foi demolido o muro circular que circundava o monumento e que imprimia-lhe uma boa proporção e limpeza formal. Felizmente hoje se encontra novamente restaurado.



Foto do Acervo de Raimundo Gomes

O QUE MUDOU NO DECORRER DO TEMPO...

Vemos na foto(lado esquerdo) do ano de 1938, a Praça do Cristo Redentor. A partir da esquerda, a mansão que foi de Luiz Borges da Cunha e Maria Pio de Castro, que ficava na Rua Franco Rabelo, em frente à Praça, seguida da casa construída por José Pio de Morais e Castro e Angélica Borges Pio de Castro, depois ocupada pelo inglês Francis Reginald Hull (Mr. Hull), meio encoberta por uma árvore; a Avenida Monsenhor Tabosa, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição e o Seminário Arquidiocesano. Na frente, a praça, com a torre que lhe deu o nome.

A pedra fundamental da Torre do Cristo Redentor foi lançada no dia 23 de julho de 1922, na então Praça Comendador Machado (hoje Praça do Cristo Redentor), construída para comemorar a passagem do Centenário da Independência do Brasil. Usou da palavra o arcebispo Dom Manoel da Silva Gomes.

Deveria ter sido inaugurada no dia 7 de setembro de 1922, mas só o foi às 17h de 24 de dezembro do mesmo ano. Os construtores foram os mestres Antônio Machado, Domingos Reis e Severino Moura, que foram os próprios arquitetos e engenheiros. Na ocasião da inauguração falou o arcebispo Dom Manoel da Silva Gomes. Estavam presentes o presidente do Estado Justiniano de Serpa, o prefeito de Fortaleza coronel Adolfo G. Siqueira e o deputado estadual Rubens Monte. A torre mede 35m de altura, com 3m de circunferência.

No dia 16 de novembro de 1924 foi inaugurado o relógio de quatro faces da coluna do Centenário (Cristo Redentor), mas em virtude do balanço da torre teve que ser retirado e foi depois levado para a torre da Igreja dos Remédios, onde ainda está.



No dia 19 de dezembro de 1924, a antiga Praça Senador Machado muda o nome para Praça do Cristo Redentor, que no dia 16 de julho de 1938 inaugurou sua urbanização.

A Biblioteca Pública do Estado, que estava funcionando no Palácio da Luz, começa a mudar-se para sua sede própria, na Praça do Cristo Redentor, no dia 26 de janeiro de 1967, era a casa já citada, de Luiz Borges da Cunha, vizinha ao atual prédio da Biblioteca Pública Menezes Pimentel, inaugurada em 27 de março de 1967.

Na década de 70 iniciaram-se as obras de construção da Avenida Leste-Oeste que absorveu a Rua Franco Rabelo e unindo lado leste ao oeste da Cidade. Foi Inaugurada no dia 5 de outubro de 1974, às 10h, batizada de Avenida Presidente Castelo Branco, unindo a Praça Cristo Redentor à Barra do Ceará.


A foto nova(lado direito) mostra a praça como hoje está, sua arborização não deixa ver os prédios que a rodeiam, mas as casa da primeira foto que ficavam na Rua Franco Rabelo foram demolidas para darem lugar hoje ao Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.







Fontes: Portal do Ceará e Pesquisas na internet

3 comentários:

  1. meu deus como era simples e tão limpo tanta beleza e admiração a praça bem arborizada sem muito veiculo e hoje como está? charles

    ResponderExcluir
  2. Nossa,como eu queria ter vivido nesse tempo.
    Acho que o mundo era bem melhor do que o de hoje,nossas casas e nossos predios,deveriam ter continuado assim.

    ResponderExcluir
  3. Nossa como eu queria ter vivido nessa epoca,sinto uma imensa dor quando vejo estas fotos antigas e procuro onpredio no local e ele nao estar mais la.
    Sinto umanperca irreparavel,quero voltar no tempo hoje mesmo,pra sentir as paredes,os pisos,a aquitetura,as fachadas,nossa como eu queria ver tudo isso como nummpasse de magicas.

    ResponderExcluir

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: