Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


sábado, 6 de março de 2010

Romcy

As lojas de varejo Romcy S/A foi uma rede de lojas localizada em Fortaleza/CE com 12 lojas entre hipermercados e supermercados, 11 estavam localizadas em Fortaleza 1 em Maracanaú e uma central de compras em São Paulo, nessas lojas existiam ainda os Romcy-Car que eram especializados em acessórios e serviços para veículos além de cinco lanchonetes em suas unidades que faziam muito sucesso e era ponto de encontro de muitas pessoas. O Grupo Romcy era formado ainda pela Romcy Informática LTDA e a Granjas Romcy S/A.

As atividades comercias dos Romcy começaram em 1948 com a firma Jacob Elias & Filho onde vendiam miudezas que depois passou a ter varias filiais com nomes fantasias diferentes como, as lojas A Capital, Magazine Sucesso, Casa Venus, Romcy Perfumaria, Romcy Magazine, e por fim a Super Loja Romcy.

Em 1962 com a morte de Jacob as lojas foram unificadas sobre a razão social de Romcy Comercio e Industria S/A e estavam sob a responsabilidade de seus filhos José e Antonio Roncy que partiram para unificar as atividades do grupo .

Em 1974 o Grupo Romcy comprou do comerciante Plácido de Carvalho um imóvel construído em forma de um castelo, que se localizava onde hoje fica a Praça Luiza Távora na Avenida Santos Dumont para a construção de um hipermercado após alguns anos seu terreno foi dado em pagamento de divida de ICM ao Governo do Estado, muitas pessoas atribuem a falência da empresa a demolição deste castelo, uma espécie de maldição.

Com a inauguração em 1975 do Romcy Aldeota uma loja com área de 14 mil m2 onde a empresa passa a investir também em supermercado, quase a mesma época em que passa a ser a 1ª loja de departamentos do Norte e Nordeste a funcionar com computador.

Na década de oitenta o Canguru (que segundo se comenta foi também usado pelo Varejão Supermercados da Família Patriolinio Ribeiro), símbolo das lojas Romcy, disputava o mercado com as Americanas, Lojas Brasileiras e Mesbla de igual para igual.


O Romcy mantinha um cartão de crédito próprio e no fim do mês, com a inflação galopante, comprar no Romcy era praticamente impossível, pois esta loja operava também no ramo de supermercados e vendia tudo no cartão na época se dizia que quem não tinha um crediário no Romcy não tinha crédito na praça.

Em 1990 quando o Roncy pediu concordata ele mantinha 1.702 funcionários e proporcionava quase 3.000 empregos indiretos e na época era também um dos maiores arrecadadores de impostos e um dos grandes empregadores do Estado do Ceará



Foto de 1982

A maior rede de lojas de departamento que o Ceará teve escolhia bem a sua localização tanto que todos os seus endereços estão devidamente ocupados quase 20 anos depois. O Romcy Planalto virou Bompreço Papicu, o Romcy Aldeota (Antonio Sales) virou Hipermercantil e hoje é ocupado pelo Carrefour, o Romcy Montese é o Hipermercado Extra, o Romcy Monte Castelo abriga a matriz do Expresso Guanabara no Ceará, que a propósito, nunca teve o que reclamar da infra-estrutura das instalações (inclusive dotada de uma moderna estação de tratamento de esgoto), no Centro de Fortaleza, suas lojas estão todas ocupadas, as duas na Rua Barão do Rio Branco e a do Parque das Crianças onde hoje funciona no prédio que faz fundo também com a Praça Murilo Borges( praça do BNB) um Super Lagoa e uma Rabelo , o Romcy Benfica, cuja obra não foi concluída pela empresa, hoje é o bem sucedido Shopping Benfica. Tantos acertos não foram por acaso houve estudos muito bem feitos.

Na propaganda a empresa também inovou trazendo as propagandas com o Assis Santos quando anunciava as ofertas para o dia seguinte com o slogan “barato do dia Romcy” no intervalo do Jornal Nacional da Globo ou os anúncios de paginas inteiras nos jornais , ou com a promoção famosa, inédita e audaciosa “Romcy dá dinheiro vivo”, nos anos 70. Antonio Romcy analisou a conjuntura econômica do país e usou a inteligência para criar a campanha. O raciocínio de Antonio Romcy foi rápido e perspicaz: se era de se pagar 10% às financeiras, por que não estimular a compra a partir de seis prestações e dar esse percentual diretamente ao consumidor? Foi um sucesso.

Em Dezembro de 1990 o Romcy pede concordada preventiva motivada pelos problemas causados pelo Plano Collor como a inadimplência de seus clientes o que causou um desequilíbrio financeiro porém seu patrimônio era suficiente para cobrir suas dividas e inicia a reestruturação de seus negócios com fechamento de algumas lojas, também foi noticiadas a venda da empresa para o Grupo Sendas do Rio de Janeiro e Lojas Tamakavy do Grupo Silvio Santos.

Em 1992 já consegue levantar a concordada e planeja a volta ao ramo de supermercados com a reinauguração da loja do Parque das Crianças o que não foi possível, porem o filho de Antonio Romcy inaugura o Supermercado Básico na Rua José Lourenço e no prédio do antigo Roncy do Parque do das crianças ocupando metade da área que o Romcy ocupava o novo empreendimento por questões de mercado não deu certo.

Por volta de 1993 à empresa com apenas uma loja em funcionamento tem a falência decretada deixando muita saudade, o seu patrimônio imobiliário foi usado para saldar dividas bancarias, trabalhistas e com fornecedores para ser ter uma idéia apenas a loja do Bairro Montese onde também funcionava a matriz do Grupo estava avaliada em US$ 10 milhões de dólares.

Sem duvida as lojas Romcy deixaram um vazio no mercado cearense por sua importância que teve na vida social e econômica do estado.


Fonte: Jornal O Povo edição de 11/12/1990, Pedro Paulo Morales  e jornais da época.

15 comentários:

  1. viajei nesta meteria!!sem duvidas você toda razão

    ResponderExcluir
  2. Que beleza de matéria, Leila. Um importante registro para conhecer ou relembrar. Parabéns por seu blog!!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Jô! :)
    Fico honrada em tê-la como leitora do blog!

    ResponderExcluir
  4. Bacana, eu já sabia da história mas os detalhes são novidade.

    Bruno Romcy

    ResponderExcluir
  5. Ótima matéria sobre um grande grupo comercial que deixou muitas saudades. Nonato

    ResponderExcluir
  6. sem dúvida nenhuma esse foi um empresário no seu sentido mais nobre, pois construiu um império com muita determinação e um grande sonho.

    ResponderExcluir
  7. excelente matéria e ótimo trabalho de pesquisa,parabêns.

    ResponderExcluir
  8. Olá, sou Rafael Brito. Tudo bem?

    Existia uma Loja Romcy no Maracanaú? Onde você pegou essa informação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafael, as fontes estão no final do post:
      Jornal O Povo edição de 11/12/1990.

      Abraços

      Excluir
    2. Hum... que legal... eu não sabia disso! Obrigado Leila! Você poderia fazer a gentileza de me repassar esse artigo do Opovo, ou como posso acessá-lo?

      Excluir
  9. Respostas
    1. NÃO ENTENDI COM É QUE VC DIZ QUE É DESSA FAMÍLIA E PROCURA SEU PAI...O DONO FALECEU POUCO TEMPO...

      Excluir
  10. Bom dia!
    Estou a procura do meu pai.
    Ele trabalhou no Romcy, em Fortaleza - CE
    Segundo minha mãe ele se chama Valdir Pereira Gomes. Trabalhava como repositor nas sessões.
    Quem estiver lendo essa postagem e puder me ajudar.
    O meu e-mail é thalyta.dayecha@yahoo.com.br, atualmente moro no rio de janeiro. Nasci no ano de 1989.

    ResponderExcluir