Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Conjunto Ceará - O antigo Carnaubal da Veneza [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Conjunto Ceará - O antigo Carnaubal da Veneza


Não para de crescer o Conjunto Ceará
Que se transformou em mini cidade,
Que traz tanta felicidade
É só construir, conservar, amar...

Assis de Lima

Carnaubal * - Assis de Lima

Era 1970.
Enquanto o mundo científico discutia com otimismo, a conquista do homem na lua, o Brasil era destaque na dimensão esportiva, com o primeiro título de Tricampeão mundial de futebol, com o Jairzinho camisa sete. Ele foi o furacão, tendo em vista ter sido o artilheiro, daquela inesquecível copa que foi a copa da minha meninice e, diga-se de passagem, a primeira transmitida ao vivo pela televisão brasileira, ainda que em preto e branco.
Em Fortaleza, apesar dos chamados pichadores ocuparem os muros com a trivialidade “Abaixo a Ditadura”; o clima era de antagonismo a tudo o que se passava. Apesar de ter sido um ano eleitoral, ainda hoje o Nordeste não tem peso político para as grandes decisões nacionais. O título Terra da Luz foi uma bravura que, a história anexou aos grandes feitos, mas foi no passado, passou...
Foi no governo chamado por muitos “Os Anos Negros da Ditadura”, que se iniciou uma política habitacional, através de recursos, do já extinto Banco Nacional de Habitação. O presidente Emílio Garrastazu Médici que havia assumido a Suprema Magistratura da Nação em 30 de outubro de 1969, foi um homem que, mesmo com o Congresso Nacional mutilado, conseguiu assistir ao homem do campo, hoje o inverso. Não estou para defender ditaduras, pois a melhor ditadura é pior do que a pior democracia.



Implantação do Conjunto Ceará, trabalhos preliminares de topografia - Assis de Lima

O presidente Médici criou o Programa de Assistência ao Trabalhador Rural (Pró-Rural). Pergunta-se: Quem criou o Movimento Brasileiro de Alfabetização - MOBRAL? Quem criou o FUNRURAL, hoje o maior distribuidor de renda para o homem do campo? A história está ai para fazer justiça aos seus criadores.
A história do pomposo Conjunto Ceará nasceu neste contexto. Os cearenses sempre foram vitimas de constantes secas, e não é novidade migrações. O êxodo rural incha as cidades grandes, e os flagelados começam a se refugiarem em áreas isoladas formando favelas, e consequentemente com a instalação de casebres em locais indevidos, surgem as chamadas áreas de risco, ou indústria da miséria.


Construção do Conjunto Ceará - Foto de 1975 - Assis de Lima

Foto do Conjunto Ceará em 1979 - Conjcearadeprê

O problema é que, com o retorno da estação chuvosa, os refugiados já estão adaptados ou se adaptando com a vida urbana através do mercado de trabalho, até mesmo com a mão de obra não qualificada e permanecendo no mesmo local. Quando um homem entra no mercado de trabalho, aí sua família entra no mercado de consumo. O interior fica esquecido.


Foto da década de 80 - Arquivo Nirez

Foto da década de 80 - Arquivo Nirez

Foi a hiper população da Capital cearense que fomentou e tornou urgente, a aprovação do projeto do Governo Federal para a construção de casas populares, e o Conjunto Ceará fora inserido neste programa. A área escolhida, para melhor compreensão do leitor, foi de uma baixada após o Campo da Granja (hoje Praça da granja Portugal) até a beira da Via Férrea de Sobral, onde abrigaria as suas 4 etapas. O terreno onde foram construídas as primeira, segunda, e terceira etapas denominava-se Estivas, e após o canal, que um dia foi braço do rio Maranguapinho e uma verdadeira riqueza em carnaúbas, havia tomado a nomenclatura de Veneza, pois eram terras que na época das sesmarias foram herdadas pela a família de Manuel Francisco da Silva Albano, dentre os quais um fora agraciado como Barão de Aratanha (nome de rua no centro da cidade de Fortaleza). 

Família Albano

 O local já pertencente ao Município de Caucaia, denominou-se Parque Albano. Ali o trem da antiga Rede de Viação Cearense - RVC (depois RFFSA, hoje Metrofor/CFN) de 1917 até 1931, fazia parada no km 11, tanto para recebimento de gado, exportações e o envio de pequenas encomendas. O prestígio da família era grande perante a administração da Companhia Ferroviária. O trem suburbano do distrito de Barro Vermelho (Antônio Bezerra) ia direto para Soure (Caucaia). Foi aí que a população ribeirinha do Genibaú e da Jurema reivindicaram paradas para o trem suburbano. O trem ficou parando no km 10 (hoje São Miguel) e Jurema a partir de 1945. A quarta etapa do Conjunto Ceará apesar de ter sido a última, parece que pela etnologia topográfica tem uma história mais rica.

Troyler IFOCS – Família Albano - Assis de Lima

Situada essa zona Oeste para o Conjunto Ceará, a área havia sido demarcada ainda na gestão de Plácido Castelo, em cumprimento ao programa estabelecido pelo governo Federal, mas as obras de infraestrutura só foram iniciadas no final do “Governo da Confiança”, ou seja, em 1974 quando o governador César Cal’s estava prestes a passar o governo para o Cel. Adauto Bezerra.
Cognominado a Capital da Periferia, o Conjunto Ceará começou a receber as famílias em sua primeira etapa com 966 casas, cuja solenidade de inauguração ocorrera aos 10 de novembro de 1977. Referido evento contou com as presenças de várias autoridades, dentre as quais o Governador Adauto Bezerra, que estrategicamente construiu a Avenida José Bastos para o devido escoamento de veículos que, para o Conjunto viria. A Avenida João pessoa não comportaria a demanda.
A segunda etapa ficou pronta em 1978, com 2.516 unidades, a terceira em 1979, e a quarta em 1981. A RFFSA (Metrô de Fortaleza e antiga RVC) desde a inauguração do Conjunto já havia começado a parar o seu trem no km 12, mas a inauguração oficial da estação data de 19 de fevereiro de 1982. A estação Parque Albano só iria ser inaugurada em 1995.

Quando não tinha estação – Parada Km 12 - Assis de Lima

Pois bem, assim como bola de neve, os moradores de um dos maiores conjuntos habitacionais da América Latina, foram triplicando, e lógico, cada um com seus empreendimentos libertando-se parcialmente assim do comércio do Centro e os Shopping. Acompanhada pela equipe de Assistentes Social da Cohab, os moradores foram se adaptando.

Ônibus Granja Portugal no terminal - Assis de Lima

Em 2007 e então com trinta anos de existência, o bairro cuja oficialização foi por conta da lei nº. 6.504 de 11 de novembro de 1989, já contava com mais de 100 mil habitantes, que viviam em torno de 12 mil residências. Contava o CC com 11 Unidades de Vizinhança (UV’s), 12 avenidas, um hospital maternidade, um Posto de Saúde da Família (Maciel de Brito), duas Vilas Olímpicas, um terminal rodoviário do sistema de integração, três linhas de transportes alternativos, Várias autoescolas, posto da ABCR, Um Liceu, Creches, mais de 50 escolas públicas e particulares, uma delegacia distrital, um contingente militar que forma a 4ª Cia. do 6º BPM, Bombeiros, um juizado de Pequenas Causas, o Centro da Cidadania Lúcio Alcântara (antigo CSU), três agencias bancárias, serviço de Correios, escritórios da Coelce e Cagece, Centro Cultural Patativa do Assaré, além do Pólo de Lazer Luiz Gonzaga que, destinado a apresentações artísticas, é mal utilizado fazendo os moradores mais aproximados a transformarem, em fins de semana as doces noites que se aproximam, em longas vigílias de insônia. Na área religiosa as igrejas são as mais diversas: Católicas, Evangélicas dentre, as afro-brasileiras.
Aqui termino com duas reivindicações de todos os moradores: a Instalação de um Cartório Legal, e uma linha de ônibus Conjunto Ceará/Parangaba.


Linha Conjunto Ceará - Emp. Gerema - Assis de Lima


 *Os carnaubais era o local do terreno, e o riacho é onde está passando um canal, assim como massacraram o histórico riacho Maceió. Da família Albano destacamos o Barão de Aratanha . Essas terras aos mesmos pertenciam, daí o nome do Bairro limítrofe Fortaleza/Caucaia chamado Parque Albano.


Texto e maioria das fotos do amigo e colaborador Assis de Lima


Francisco de Assis Silva de Lima é Bacharel em Ciências da Religião, Sócio da Associação Cearense de Imprensa, Membro do Instituto do Museu Jaguaribano e Colaborador do Jornal O Povo.




39 comentários:

  1. Época de bem sucedida da construção de Casas, Prédios,Ruas, Bairros, Conjunto Habitacional e de muitos e outros recursos públicos que empregou muitas pessoas que até que em fim se tornaram autônomos da sua própria orígem de serviços e etc...

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Deborah! :)
    Fico muito feliz q tenha gostado.

    ResponderExcluir
  3. Leila, moro no Conjunto Ceará desde 1986, vi esse bairro crescer vertiginosamente, com o seu texto e com as fotos que voce postou a respeito do bairro, eu fiz uma verdadeira viagem no tempo e digo que adoreii!! parabéns a voce pelo seu blog que mantém viva a memória de nossa cidade, recomendo a todos que conheço para que façam uma visita ao seu blog.Esse onibus da GEREMA na cor preta e vermelha eu chegeui a usar quando criança,nesse tempo nos usavamos umas fichas de plástico no coletivo quando subiamos.Saudades de minha infância....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai q bom, Antônio!!! :)

      Eu que agradeço por compartilhar com amigos e conhecidos o blog Fortaleza Nobre, muito gentil de sua parte!

      Amei seu comentário e saber q a postagem lhe proporcionou uma viajem no tempo, me deixa muito feliz. :D

      Um forte abraço

      Excluir
  4. Essa foto do ônibus da Viação Gerema foi o que eu mais gostei nesta postagem sobre a história do Conjunto Ceará.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma relíquia mesmo, Didi! :) rsrs

      Excluir
    2. Quem lembra?
      Eu ainda lembro bem
      lá no fundo da minha memoria ;)
      Moro neste bairro desde que nasci
      1981
      E me perguntam se eu quero ir para outro bairro
      eu digo que amo o bairro e não deixo mais ;)

      Excluir
  5. Nossa, quantas informações que eu desconhecia. Vim morar na 4ª etapa do Conjunto Ceará aos 9 meses de idade, em 1981, ano da sua inauguração (informação que eu aprendi aqui). Lembro demais dos ônibus da Gerema (ADOREI a foto!!!). Sou do tempo em que as pessoas se referiam ao CC como "vixe" pela sua distância do centro urbano. Adoro morar aqui porque o bairro preserva um ar interiorano apesar de dispor de modernidades. Obrigada pela colaboração de informações históricas de Fortaleza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço seu comentário, Elen! :)

      Forte abraço e fico feliz que tenha gostado da postagem sobre o bairro.

      Excluir
    2. Sua matéria e belíssima, mt boa. Porem não tenho nostalgia desse período, pois foi qd saímos do Benfica e por falta de conhecimento do meu pai aceitou sair da casa que morávamos onde e o Shopping Benfica, foi mt choro qd chegamos aqui, e ate hj não gosto...tds dissabores da minha vida foi aqui. Hj meus pais estao velhinhos e ainda permaneço por causa de laços familiares que me prende. Com td respeitos aos outros moradores.

      Excluir
  6. Cheguei no conjunto em Dezembro de 80, ainda tinha muitas casas sem reforma, os ônibus vermelho e preto, e era mesmo muito desprezado por ser longe do centro, ainda hoje mesmo um cliente, ao ligar pra mim, perguntou quando eu ia para Fortaleza, depois ele se corrigiu, o povo não sabe quanto a cidade cresceu, depois do conjunto, saindo pro lado do Bom Jardim ainda tem muitos bairros, e mais distante mesmo!
    Valeu a documentação feita aqui!
    Bené

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário, Bené! :)

      Forte abraço

      Excluir
  7. Meu pai de criação foi um dos primeiros a morar na 729 da 3a. etapa do conjunto Ceará! Eu acho importantissimo seu trabalho D. Leila! Estou sempre me surpreendendo com seu trabalho de valorização da história de nossa cidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ricardo! :)

      Forte abraço e um ótimo final de semana. O/

      Excluir
  8. Olá!

    Moro neste bairro desde 1979, mas era criança e não tenho muita lembrança do inicio. Como consigo mais fotos de antes e durante a contrução do Conjunto Ceará?

    Agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Murilo, boa tarde!

      Tente com o Nirez, talvez ela tenha mais fotos do Conjunto Ceará: nirez@terra.com.br

      Abraços

      Excluir
  9. Ótimo artigo, historia é conhecimento melhor para sabermos mais de nosso bairro!

    ResponderExcluir
  10. ótimo trabalho Leila,moro neste bairro minha vida toda 32 anos,não tenho muitas lembranças do inicio ,só quando a avenida central era em terra batida,fiquei impressionado com seu trabalho,muito detalhado e informativo,também concordo com suas reivindicações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz q tenha gostado, pedro Henrique! :)

      Forte abraço

      Excluir
  11. minha nossa,omo bom ver essas fotos sou filho do conjunto ceara nasci me crie e espero morrer por la tenho a idade do bairro 37 anos e é muito bacana ver e ler a historia desse bairro que eu amo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz demais, Marcelo! :)

      Forte abraço

      Excluir
  12. Parabéns Leila! Amei a viagem ao tempo e minhas origens. Indicarei aos amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Genildo, fico feliz q tenha gostado! :)

      Excluir
  13. cearense tem memória curta, você resgata e preserva nossa história e cultura, transcende a tudo e a todos para impor-se a si mesma pelos fatos.
    Minha vida profissional coincide com eus fato históricos, sofri influências, pesquiso moradias de interesse social..
    Xisto Medeiros, eng. UFC, T 65

    ResponderExcluir
  14. Fiquei absolutamente maravilhado com o texto e com as fotos..Tenho 34 anos..e vivi minha vida inteira nesse bairro que tanto amo. Hoje sou professor concursado do estado e leciono no UV2. Fico feliz em retribuir com meu trabalho ao bairro que me deu tanto. Obrigado pela lágrima no olho...Imagina se eu tivesse visto fotos da COBAL, lugar no qual eu moleque corria no meio das verduras..rsrsrs
    Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, tem um flanelógrafo lá no Evandro(colégio), onde estão várias fotos antigas de desfiles e festividades promovidas pelo colégio, em uma delas há uma foto de um desfile de 7 de setembro, onde aparece parte do muro da COBAL, datado de 1983.Dá para ver o nome ainda na cor vermelha.

      Excluir
  15. NOSSA QUANDO CHEGAMOS NO CONJUNTO CEARÁ,PARECIA QUE ESTAVA AOS MEUS 11 ANOS DE IDADE.NO PARAÍSO ERA MUITO BOM.ANDEI MUITO COM MEU PAI E OUTROS VIZINHOS NA 4ª ETAPA HOJE QUE NA ÉPOCA ERA SÓ MATO ,ME SENTIA UM TARZAM UM AVENTUREIRO.ERAMOS CAÇADORES DE VARA PARA FAZER CERCA ,MANGA ,CAJU NOSSAAAA QUE SAUDADES ......E DE REPENTE.SE FAZ PARA O POVO MAIS UMA GRANDE MORADIA.ESSE ERA O GOVERNO QUE OPOVO PRECISA HOJE ......

    ResponderExcluir
  16. Paulo, tem um painel lá no Evandro(colégio do bairro), repleto de fotos de desfiles e outras festiuvidades de anos anteriores, numa delas o(a) fotógrafo(a) sem querer bate a foto dos alunos marchando e pega também o muro da COBAL.A foto data de 1983.

    ResponderExcluir
  17. O cartório é o q esta faltando nesse bairro lindo.

    ResponderExcluir
  18. BOM DIA AMIGOS EU TAMBÉM SOU CONTEMPORÂNEO A ISSO TUDO CHEGUEI NESSE MARAVILHOSO BAIRRO EM 19/12/1979 LEMBRO-ME DE TUDO QUE A LEILA POSTOU EU TRABALHEI NA COBAL, SE FOSSE HOJE SERIA MENOR APRENDIZ, ME TORNEI POPULAR NO BAIRRO POR TRABALHAR NELE DURANTE 15 ANOS COM MEU TRABALHO DE PINTURA COMERCIAL EU ME CHAMO MIRANDA ALÉM DE PINTAR EU TAMBÉM DEI AULA DE LAMBADA ENTRE 1990 E 1992. CONTINUO NO BAIRRO E HOJE FAÇO UM TRABALHO DE ARTESANATO BEM BACANA, PARABÉNS AMIGA POR VOCÊ RESGATAR ESSA MEMÓRIA DO NOSSO BAIRRO. FALTOU FALAR DO CLUBE APACHE ERA A DIVERSÃO DOS JOVENS AOS FINS DE SEMANA.

    ResponderExcluir
  19. amei, morei na 731 na epoca skai laibe alquem lembra

    ResponderExcluir
  20. parabéns, pelo artigo ficou muito show, uma verdadeira aula sobre a historia do nosso bairro
    Vicente Neto

    ResponderExcluir
  21. Leila, parabéns pelo artigo! Sou moradora do Conjunto Ceará e fico feliz em ver um pouco da história do bairro onde moro desde 1983. Como esse bairro cresceu, mas agora está sendo uma vítima da sociedade com a crescente onda de violência. Infelizmente, não conseguimos fazer o que tanto gostavamos que era sentar na calçada a tardinha e conversar com os vizinhos. Mas a vida continua e mesmo sendo tão distante realmente de tudo, gosto desse grandioso conjunto habitacional.

    ResponderExcluir
  22. Boa noite, sou o 1° morador do conjunto Ceará, cheguei em no início de 1976, não tinha água e nem luz, estavam colocando os postes, ainda tenho o recibo da primeira parcela, cohab/BNH.

    ResponderExcluir
  23. Boa noite, sou o 1° morador do conjunto Ceará, cheguei em no início de 1976, não tinha água e nem luz, estavam colocando os postes, ainda tenho o recibo da primeira parcela, cohab/BNH.

    ResponderExcluir

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: