Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Hospital Geral de Fortaleza - 1969-1979 (I parte)




Hospital Geral de Fortaleza (HGF) é o maior hospital público da rede da Secretaria Estadual da Saúde do Ceará. Entrou em operação no dia 23 de maio de 1969 como hospital federal do antigo INAMPS e passou a ser estadual em 1990. O HGF tem, atualmente, 543 leitos, dos quais 118 são UTIs.


O Hospital Geral de Fortaleza foi inaugurado em 23 de maio de 1969 como Hospital Geral do Serviço Público Federal, passando a ser administrado pela Secretaria Estadual de Saúde em 1990. É o maior hospital da rede pública do Ceará, servindo à população do estado e, por sua referência e complexidade, também aos estados vizinhos, em diferentes áreas de saúde. É referência nas especialidades de Cirurgia Geral, Neurologia, Neurocirurgia, Reumatologia, Nefrologia, Transplante Renal, Gineco-obstetrícia, Traumato-ortopedia, Oftalmologia, entre outras.

Além do atendimento de emergência(aberta) nas áreas de cirurgia geral e vascular, clínica médica, obstetrícia e neurologia, o
HGF possui 63 especialidades e sub-especialidades médicas e outros serviços de saúde – enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, nutrição, farmácia, bioquímica, psicologia e serviço social. Hoje, o Hospital Geral de Fortaleza mantém o único Banco de Olhos do Estado, fazendo a captação, preservação e distribuição de córneas para os 13 centros transplantadores de todo o Ceará. Além de realizar transplantes de córneas, faz transplantes de fígado, pâncreas e rim. O Centro de Transplantes Renais é referência no Norte e Nordeste, já tendo realizado mais de mil transplantes, marca atingida em 2009.

Em outubro de 2009, o HGF inaugurou a Unidade de
AVC, com estrutura moderna e equipe interdisciplinar de plantão 24 horas para fazer um atendimento diferenciado ao paciente que chega na emergência com AVC, a principal causa de morte hoje em todo o Brasil. A Unidade é a maior do país com vinte leitos e capacidade para atender 150 pacientes por mês.

O Hospital Geral é também um dos maiores centros de treinamento do País, certificado por portaria interministerial(
Ministérios da Saúde e Educação) como hospital de ensino, atuando na formação de médicos em nada menos que 24 especialidades.

Atualmente, o hospital realiza 1.150 cirurgias, 16 mil consultas e 100 mil exames laboratoriais por mês. Na área de exames especializados, o hospital é o único da rede pública estadual a realizar Ressonâncias Magnéticas e Eletroneuromiografias.



1969
O Hospital Geral de Fortaleza foi inaugurado em 23 de maio de 1969, época do período militar, com uma área construída de 15.000 m² e 200 leitos, no Papicu. Começava suas atividades com uma equipe formada por médicos, enfermeiras e auxiliares, nutricionistas, assistentes sociais, farmacêuticos, dentistas, e apoio administrativo. A obstetrícia foi o primeiro setor a iniciar suas atividades e a Unidade Neonatal tornava-se referência para recém-nascidos graves e prematuros.  O HGF recebia a doação do primeiro aparelho de Raio X, pelo Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Bancários (IAPB).

1970
Com a preocupação de exercer uma assistência de ponta as equipes eram permanentemente treinadas e capacitadas, através de sessões clínicas. A Seção de Odontologia e o Ambulatório de Cardiologia iniciavam suas atividades. Inaugurado o Centro de Recuperação e Terapia Intensiva e criada a Comissão Especial de Rotinas Preventivas, com o intuito de evitar moléstias infecciosas. Aprovada a padronização de medicamentos e, posteriormente, a distribuição gratuita aos previdenciários.  Iniciava o funcionamento do Ambulatório de Hidrocefalia e implantados os primeiros Programas de Residência Médica.

1971
O Centro de Material e Esterilização destacava-se pelo apoio ao Centro Cirúrgico e demais unidades de internação, contribuindo para a segurança de procedimentos, destacando-se o tratamento cirúrgico de aneurisma intracraniana, realizado com pioneirismo neste hospital. Realizava-se a primeira diálise com rim artificial, utilizando-se a placa de Kill (rim de placa). Início da Residência de Clínica Médica. Funcionamento do Gabinete de Eletroencefalografia. Implantado o internato para alunos do curso de medicina.

1972
Realizava-se no Centro Obstétrico o décimo milésimo parto, a primeira craniotomia com eletrocorticografia e estimulação cortical em tumor no lobo temporal direito. Implantava-se o primeiro pace-maker (marca-passo) em paciente portador de bloqueio aurículo-ventricular. Prosseguiam-se os cursos de atualização coordenados pela Comissão de Ensino e Cultura do HGF, nas especialidades de reumatologia, neurologia de urgência, radiologia e patologias e propedêuticas radiológicas do mediastino e do colon. Realizava-se o primeiro curso Anual de Cirurgia Plástica com implante de prótese rinoplástica de silicone. Uma agradável área verde, o caramanchão, abrigava seu corpo de funcionários, em momentos de descontração.

1973
Implantava-se o Serviço de Pediatria com uma enfermaria de 10 leitos e a Residência Médica nessa especialidade. O Setor de Cirurgia Plástica realizava o primeiro implante no norte e nordeste de dura-máter homóloga, conservada em glicerina. Realizava-se a primeira intervenção estereotáxica cerebral (Tratamento de Parkinson) que colocou o Ceará em 4º lugar no País na realização desse procedimento. O Serviço Social Médico promovia curso para gestantes, abordando: auxílio-natalidade, importância do pré-natal, higiene na gestação, parto e puerpério, cuidados com o recém-nascido e educação sanitária. O hospital contava com infra-estrutura organizada de apoio administrativo como Serviço de Material, Pessoal e Arquivo Médico e Estatístico (SAME).


1974
Os Serviços de Manutenção e Reparos supriam todas as demandas internas de carpintaria, funilaria, eletricidade, hidráulica e oficina mecânica. Contava-se com uma frota de ambulâncias para transporte de pacientes por ocasião de transferência, alta hospitalar ou realização de exames externos. Criava-se o Banco de Leite Humano e instalava-se a Biblioteca para apoio a estudos e pesquisas de profissionais, residentes e internos.

1975
Inaugurava-se na Clínica Oftalmológica o primeiro Aparelho Fotocoagulador de Raios Laser de Argônio do Brasil, após treinamento dos profissionais por renomado especialista da área, convidado para orientar sobre o uso adequado desse aparelho. Circulava a Revista Médica do HGF.

1976
Reconhecido como centro de referência pelos serviços que prestava, o HGF obteve a honra de ter sido escolhido pela chefia da Casa Civil da Presidência da República como sendo o hospital de apoio para as viagens do Presidente. Com o intuito de monitorar e prevenir as infecções no âmbito hospitalar, surgia a primeira iniciativa com a participação de um médico e uma enfermeira, do que se constituiria anos depois a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar.


1977

Estruturado de forma adequada, contando com maquinário industrial, o Serviço de Rouparia e Lavanderia confeccionava e preparava todo o enxoval utilizado por usuários e para as atividades diárias dos profissionais de saúde. O Serviço de Nutrição e Dietética instalado em ampla área física, atendia  com padrões de excelência.


1979
O HGF passava a ser vinculado ao Instituto Nacional de Assistência Médica e Previdência Social (INAMPS), órgão da previdência social, responsável pela assistência médica no Ministério da Saúde. Reformava-se o Setor de Raio-X, ampliando a capacidade de atendimento pela aquisição de novos aparelhos de suporte diagnóstico.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário