Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Bairro Dom Lustosa [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Bairro Dom Lustosa


O bairro de Fortaleza que vamos ver agora tem o nome de um bispo que se preocupou muito com o social e ajudou na criação de importantes hospitais.

No alto de uma ladeira, a simpática capela de Santa Luzia dá boas vindas a quem visita o bairro Dom Lustosa. A igrejinha, que foi construída pelos próprios moradores nos anos 80, é motivo de orgulho.


As terras que hoje compõe o bairro Dom Lustosa, faziam parte da Parangaba e nesta área transitavam os rebanhos de gado pela estrada Barro Vermenho-Parangaba. Esta estrada ligava o Barro Vermenho (Antônio Bezerra) - Parangaba. Deste período da história ainda é possível de ver o restante desta estrada, que agora é denominada Avenida Matos Dourado(mais conehcida como Perimetral)/Rua Rui Monte, o Sítio Ipanema e outras casas antigas que mostram o passado agrícola deste bairro.


Foto arquivo O Povo

Boa parte destas terras pertenciam a família Pompeu, nas quais ficavam as casa de veraneio da família. Na década de 60/70 de século XX, a família Pompeu, vendeu e loteou estas terras. Como parte deste empreendiemnto foi isntalada uma indústria de tecelagem(Politextil, depois Unitextil e atualmente Santista). Com a construção desta indústria a paisagem natural foi alterada e o riacho que afluía no riacho Alagadiço foi barrado e criou-se assim o Açude da Fábrica.

Com o surgimento e luta política do conselho de moradores do Parque Santa Lúcia(o antigo nome do bairro), o bairro desvinculou-se do bairro Henrique Jorge. Em 1978, com o status de bairro, este ganha um novo nome Dom Lustosa, uma homenagem ao antigo arcebispo de Fortaleza, Dom Antônio de Almeida Lustosa*.

O Pau da Veia

É uma das comunidades mais antigas do bairro e um dos locais mais conhecidos do bairro. Um nome que retorna a Dona Ana, uma moradora que tinha sua casa à margem do riacho Alagadiço ou riacho Genibaú, e que nos anos 50 do século passado, construiu um ponte rustíca de madeira. Com isto criou-se a conexão deste com o bairro Antônio Bezerra, que possibilitou aos moradores fazer suas compras ou vender produtos na famosa feira.

Agora é uma estrutura de concreto contruída pela Prefeitura de Fortaleza, mas a ponte original era apenas de troncos de madeira. A ponte original foi uma iniciativa de uma senhora idosa, e por isso ganhou este nome. 


Nos dias de hoje esta é uma ponte de concreto, mas os moradores guardaram na expressão Pau da Veia, uma homenagem a criadora da primeira ponte.

Outro ponto conhecido do bairro é a bifurcação, o encontro da águas do riacho Cachoeirinha com o riacho do Alagadiço, afluentes do rio Maranguapinho. E ainda o serrote da Vacaria.

A capela de Santa Luzia, bastante conhecida no bairro, foram os moradores que ajudaram a construir.

Ficheiro:Capela Santa Luzia.jpg
Capela de Santa Luzia, na Rua Coronel Francisco Bento, considerado um dos pontos mais altos do bairro

Com cerca de 14 mil moradores, nos dias de hoje o bairro abriga uma feira, na rua Professor Paulo Lopes, que acontece a cada segunda-feira.

Limites do bairro
  • Norte: Riacho do Alagadiço e Avenida Coronel Matos Dourado (com o Antônio Bezerra)
  • Sul: Avenida Senador Fernandes Távora (Henrique Jorge e o Autran Nunes)
  • Leste: Avenida Coronel Matos Dourado (Perimetral, com o Pici e o Henrique Jorge).
  • Oeste: Rua Cardeal Arcoverde, fazendo divisa com Autran Nunes.

Ficheiro:Ficheiro-Rua Eurico Medina.jpg
Rua Eurico Medina, uma das primeiras do bairro, nas proximidades da Avenida Perimetral

Acesso

O bairro tem uma linha de ônibus própria (205 - Dom Lustosa) que sai do terminal Antônio Bezerra, mas também há vários acessos feitos pela Av. Perimetral e pela Av. Senador Fernandes Távora, como 051 e 052 - Grande Circular 1 e 2 respectivamente, 041 e 042 - Av. Paranjana 1 e 2 respectivamente, 097 - Antônio Bezerra/Siqueira, Antônio Bezerra/Lagoa/Parangaba, a linha do bairro Henrique Jorge - 314 (que curiosamente passa pelo início do bairro), 045 - Conjunto Ceará/Papicu via Montese, 076 - Conjunto Ceará/Aldeotae 043 - Conjunto Ceará/Lagoa/Fernandes Távora.


Comércio

No Dom Lustosa são encontrados vários bares (alguns deles existem no local há muito tempo), a rede de farmácias Pague Menos e o supermercado Cometa da rede Super Rede, esses últimos localizados na fronteira com o Henrique Jorge. Também são encontradas várias locadoras e lan-houses, alguns mercadinhos populares, as academias Dinâmica e Irmãs Helena, a empresa de tecidos Unitêxtil, algumas lojas de roupas como Randelle e alguns apartamentos.

Ficheiro:Unitêxtil.jpg
Fábrica Unitêxtil, uma importante indústria no bairro

Instituições

Existem 2 (dois) colégios particulares, Fernão Dias e Getúlio Vargas, e 4 colégios públicos, Justiniano de Serpa (o popular "Maria da Hora"), Ayrton Senna, Paulo Freire (antigo Centro Educacional Demócrito Rocha) e Waldemar Alcântara. Além disso, a população do local ainda tem acesso ao Centro Social Urbano (CSU) César Cals, da Regional III, na fronteira dos bairros Dom Lustosa, Pici e Henrique Jorge, com postos de saúde e várias atividades esportivas e culturais, como natação e break dance. A capela foi iniciativa do padre Almeida. A senhora conhecida como MÃE BIA, filhas, netos e genro, são os verdadeiros fundadores da capelinha. A área foi adquerida junto a prefeitura, pois a faixa da quadra [ruas Francisco Bento, Araujo Lima e Macapá, uns 50 metros lhes pertence]


Quem foi Dom Antônio de Almeida Lustosa

Antônio de Almeida Lustosa nasceu em São João del-Rei-MG em 11 de fevereiro de 1886.

Ingressou na congregação salesiana no dia 29 de janeiro de 1905. Foi ordenado sacerdote no dia 28 de janeiro de 1912, em Taubaté-SP, pelas mãos de Dom Epaminondas Nunes d'Ávila e Silva, bispo de Taubaté-SP.

Como padre salesiano, ensinou filosofia e teologia. Foi mestre de noviços, diretor e vigário.
Ficheiro:Dom Antonio de Almeida Lustosa.jpg

Dom Antônio de Almeida Lustosa toma posse na Arquidiocese de Fortaleza no dia 5 de novembro de 1941.
Em 1952 Dom Almeida Lustosa participou da fundação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
Foi co-fundador do Instituto Josefino.
É o autor dos vitrais que ornamentam a Catedral de Fortaleza.

[Vitrais+Catedral.jpg]
Os vitrais - Crédito da foto: http://monumentoarquiteturaearte.blogspot.com
Participou da fase ante-preparatória do Concílio Vaticano II e do primeiro período (outubro – dezembro 1962) do Concílio.
Papa João XXIII aceitou sua renúncia no dia 16 de fevereiro de 1963. Passou ao título de Arcebispo de Velebusdus (sé titular), à qual renunciou em 1971, passando a ter o título de Arcebispo emérito de Fortaleza.

Dom Lustosa ao inaugurar as instalações da Ceará Rádio CLub
Dom Antônio de Almeida Lustosa, Arcebispo Metropolitano de Fortaleza, benzendo as novas instalações da Ceará Rádio Club - Crédito da fotohttp://www.prenove.com.br
Morte
Dom Lustosa faleceu no dia 14 de agosto de 1974, aos 88 anos de idade, na casa salesiana de Carpina, Pernambuco, Brasil, onde viveu os seus últimos quinze anos. Está sepultado na catedral de Fortaleza, Ceará.

Foto publicada no Almanaque do Ceará, de 1941.  Crédito da foto: http://domlustosaiconografia.blogspot.com/

Em 1993 a Arquidiocese de Fortaleza abriu o processo canônico para sua canonização.
Em Belém do Pará, no dia 1º de janeiro de 2006 o Arcebispo de Belém Dom Orani Tempesta assinou o processo arquidiocesano, remetendo-o para Roma.

Pronunciamento de Dom Lustosa na Rádio Assunção Cearense

Como não evocar aqui em Fortaleza a figura admirável de Dom Antônio de Almeida Lustosa que repousa nesta Catedral e que deixou nesta Diocese a imagem luminosa de um sábio e de um santo. Possa a recordação destes irmãos, e de tantos e tantos outros, que nos precederam com o sinal da fé, estimular-nos mais e mais no serviço do Senhor."
Papa João Paulo II - Discurso aos bispos do Brasil. Fortaleza, 10 de julho de 1980



Fonte: Wikipédia, Tv Verdes Mares

Um comentário:

  1. Digite seu comentário...eu ajudei a faze a capela

    ResponderExcluir

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: