Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Avenida Santos Dumont - Aldeota



 “Não dizem que o tempo tem asas? Pois tem mesmo. Na Aldeota levantaram-se riquíssimos bangalôs, agora chamadas ‘casas funcionais’. Quase todos brancos, bela estupidamente brancos numa terra de sol. Doem na vista? Mas ficam bem na paisagem entre o verde do mar e o azul do céu, num suave lombo de terra, que se abaixa cautelosamente em busca da praia.”

 “Numa topografia diferente, microgeográfica, Aldeota se personaliza, assume limites certos, cria a sua própria alma, amadurece enfim ‘Aldeota’”.

Aldeota, na década de 1960 - pág 286 - Jader de Carvalho


A  Avenida Santos Dumont, antes fora denominada - Av. Nogueira Acioli - (1933), de No 9 - (1890), “Do Colégio” (1888) - Registra João Nogueira - Fortaleza Velha, pág. 43.



Avenida Santos Dumont vai do Centro da cidade à Praia do Futuro. Começando na altura da Rua Cel. Ferraz, terminando na Av. Dioguinho, se interligando desde o Centro, Aldeota, aos bairros VarjotaPapicuPraia do Futuro. Outrora, somente uma ampla dimensão de terra virgem e inóspita formava a paisagem do Outeiro - hoje Aldeota - com alguns sítios, matagal espesso, cuja copagem, com predominância de arbustos, carrapicho-da-praia, servia de moradia das diversas espécies de pássaros - como os bem-te-vis-de-gamela, galos de campina, graúnas, sabiás, canários, da terra, dessa imensa fauna que os repetidos estribilhos despertavam novos moradores, tornando Aldeota essa “selva de pedra” que se ergue em desafio ao céu, mas, tudo isso tem clássico nome de modernidade.

Zenilo Almada

Essa era a casa do presidente do estado na Av. Santos Dumont
No final da Segunda década do século passado, foi construída a casa que ilustra a foto antiga, era a Vila Quixadá, que ficava na Avenida Santos Dumont nº 1169, construída por Adolfo Quixadá para sua residência. Após alguns anos foi alugada ao governo estadual que a usou como residência do Presidente do Estado. Em 1930 a casa volta às mãos da família Quixadá e nela inaugurava-se, no dia 6 de março o Ginásio São João, dirigido pelo professor César de Adolfo Campelo e que em 1943 passou a ser Colégio São João.Em 1976, o colégio foi vendido para a Organização Farias Brito, mudando o nome para Farias Brito-Aldeota/1. Depois a casa foi vendida e em seguida demolida, sendo levantado no local um novo prédio que abriga hoje um supermercado. (Créditos – Nirez) - Blog do Borjão

Colégio Militar, na Av. Santos Dumont, a Igreja do Cristo Rei está de costas na foto - 1940

A Avenida Santos Dumont é uma das avenidas mais importantes de Fortaleza.
É uma das vias mais longas da cidade com mais de oito quilômetros ligando o bairro Centro a zona leste de Fortaleza chegando até a Praia do Futuro cruzando o bairro Aldeota. 

A avenida começa estreita e de sentido único oeste-leste a partir da rua Coronel Ferraz sendo alargada a partir da rua Dona Leopoldina. A partir da rua Tibúrcio Cavalcante a avenida ganha um canteiro central e passa a ser de sentido duplo. Quase que totalmente uma linha reta, após seu prolongamento na subida das dunas da praia do Futuro, ganha uma curva na descida para a praia a partir da rua dos Tapajós. A partir dessa rua até o seu fim na Avenida Dioguinho seu canteiro central é bem largo.

Colégio da Imaculada Conceição

Existe uma grande quantidade de instituições, empresas e centros comerciais situadas ao longo de sua via tais como Colégio Militar de Fortaleza, Colégio da Imaculada Conceição, Shopping Del Paseo, Shopping Center Um, Unimed Fortaleza, Hospital São Mateus, Hospital Gênesis, Hospital e Maternidade Gastroclínica, BNB Clube de Fortaleza, Tribunal Regional do Trabalho, Funasa, Central de Artesanato do Ceará, dentre outros.

Avenida Santos Dumont - 1957 - Arquivo IBGE

1957 - Detalhe para o muro baixinho - IBGE

Foto do arquivo do IBGE

1957 - Arquivo do IBGE

Final dos anos 50 - IBGE

Casa na Av. Santos Dumont no final dos anos 50 - Arquivo IBGE

Casa na Av. Santos Dumont - 1968 / Crédito da foto: Alba

Jumbo do Center Um - 1976

Na foto os atores Milton Moraes e Vera Gimenez descendo a rampa, depois de fazer compras. Também podemos ver o Cine Gazeta por trás da palmeira (Cena do filme “O Homem de Papel”) Crédito : O Povo 

 Avenida Santos Dumont integra a lista das poucas vias de Fortaleza que ainda conservam algumas árvores nos canteiros centrais

Foto de D'Neto

Morou na Av. Santos Dumont:

João Hippolyto de Azevedo e Sá

João Hippolyto nasceu em Fortaleza a 13 de agosto de 1881,  - se vivo fosse iria completar 122 anos - Filho de Jeronymo Vieira de Azevedo e Sá, e neto paterno de João Batista de Azevedo e Sá e Anna Vieira de Azevedo e Sá e materno de Domingos Pereira Façanha e Ana Bayma Façanha.

Fez o curso de preparatórios no Ginásio Nacional, atual Colégio Pedro II, e matriculando-se a princípio na Faculdade da Bahia, em que fez o primeiro ano, e depois na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, defendeu tese em 22 de janeiro de 1904.

Sua tese foi aprovada com distinção, versou sobre segredo médico. Em 1º de março de 1904, foi nomeado professor interino de Física e Química na Escola Normal do Estado e efetivo a 30 de fevereiro de 1908.

À 7 de dezembro de 1905, foi nomeado para a Secção de operações e partos no Hospital de Misericórdia de Fortaleza.

Permaneceu várias décadas como diretor da Escola Normal Justiniano de Serpa, cujo cargo se aposentou. Após sua aposentadoria, foi convidado a exercer em comissão o cargo de diretor do Instituto de Educação no qual ficou por alguns anos, era avô de Márcio de Azevedo e Sá Livinio de Carvalho, já falecido.
Dr. Hipólito, como era conhecido, residiu por muitos anos na Av. Santos Dumont No 2110, esquina com a Rua Silva Paulet, ponto final do bonde Aldeota. Nesse local, se acha instalado o Banco Mercantil de São Paulo.



Fontes: Zenilo Almada, Wikipédia

12 comentários:

  1. Boa noite, amiga!
    Av. Santos DUmmont! Não deve haver fortalezense que não a conheça! Então, depois que as clínicas e consultórios médicos se proliferaram na Aldeota, grande parte da populaçaõ já passou por aí!

    O final da postagem, me fez recordar o rígido Dr. Hipólito! Estudei no Justiniano de Serpa quendo êle foi diretor!
    Era autoritário, mas competente! Como havia disciplina, naquela escola pública!

    Beijo, valeu!

    ResponderExcluir
  2. Então vc conheceu pessoalmente o Dr Hipólito?
    Que legal! :) Pelo o que li, ele era muito competente mesmo.

    Beijos linda :*

    ResponderExcluir
  3. Eu morava na Rua Afonso Celso,atras do Hospital Militar e estudava no Colegio Christus e depois no Colegio São João, então parte de minha vida foi na Av. Santos Dumont, gerlmente eu ia a pé para o São João e para o Ed. Diogo,onde fazia tratamento para escoliose com o Dr. Roberto Bruno. Iamos andando para o Colegio,para o IBEU e para o centro da cidade,os jovens, e no caminho passavamos nas casas dos colegas e ia aquela turma grande para o Colegio na ida e na volta das aulas.Na volta cada um ia entrando nas suas ruas para ir para casa.Conhecia bem várias casas da Santos Dumont,pois estudei com muitas pessoas que moravam pelas redondesas.Lembro muito bem da casa do Leonel Jucá e do Raimundo Oliveira, aonde hoje é o Center Um,estudava com as filhas dele no Christus.Tempos bons!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom recordar!
      Eu queria lembrar das casas que foram demolidas para a construção do Center Um, mas minhas lembranças já são do shopping, não tenho lembrança anterior¬¬

      Beijos amiga

      Excluir
  4. Lembro também do Dr. Hipolito como diretor!Quando as alunas chegavam sempre ele estava na porta, o ensino era muito bom(estudei até Latim) e tinha muita disciplina.Quando eu chegava na Escola Normal(onde estudei durante 2 anos),de lambreta com o namorado,ia direto para a diretoria pegar 3 dias de suspensão!!! Foram umas 2 vezes! Pegava o papel e ia passar 3 dias na casa do namorado,o Pantaleão,que hoje é dono da Itamaraty. Sempre pedia a alguma amiga para assinar o documento.Minha mãe só soube disso anos depois,eu já tinha uns 45 anos!!! Tempos bons!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que aventura, Sonia rsrs coisas assim nunca são esquecidas! :)

      Excluir
    2. Interessante ter encontrado nossa história no seu blog, quando você fala dos bangalôs da Santos Dumont, é exatamente aonde minha mãe morou por uns tempos, com uma das irmãs do general Eudoro Correia.Minha família sempre conta histórias do General Eudoro Correia, que era casado com a tia de minha mãe Estezinha, também tinha o milionário Demostenes Brigido, que sua mãe faleceu no Quixada.o cunhado do General Eudoro Correia, ele deixou uma herança de milhões na época para meu avô, porém meu avô torrou, eles todos nasceram no Paramoti! pois o Demostenes Brigido era primo de minha avó,Beatriz Gomes Ribeiro. Tem até uma rua. Na Aldeota com o nome dele Ave ou é rua Demostenes Brígido.Sempre nos contam essas histórias, que até ficamos descrentes por não pertencermos mais a essa alta sociedade da época. Pois hoje o colégio militar de Fortaleza é conhecido como a casa do General Eudoro Correia. Meu e-mail é flaviogomessilva1@hotmail.com

      Excluir
    3. Somos parentes do General Eudoro Correia, aonde o Colégio militar de Fortaleza é considerado a casa dele, e também de Demóstenes Brígido, que moraram nos bangalôs da Santos Dumont. Leila você tem muita literatura sobre eles. Sempre escuto histórias deles por meus país!!!
      Obrigado,
      Flávio

      Excluir
  5. A minha avo Josefa Azevedo Lima estudou na escola normal, qdo Joao Hypolito era diretor...este tambem era seu tio..irmao do meu bisavo Oscar de Azevedo e Sa. Minha avo conta que ele era muito rigido e que ela e as irmas evitavam ir pra diretoria por causa dele, hehe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! rsrs
      Naquela época o respeito imperava, hoje em dia, esses jovens não respeitam mais os superiores!

      Abraços Leonor

      Excluir
  6. Olá, li tudo, que belo post, que histórias incríveis. Tenho um amigo, que jura de pé junto que há um bom tempo atrás, na sua infância, ou seja, lá pelos anos 60, 70, havia uma rotatória viária na avenida santos dumont, no entroncamento com a av. desembargador MOreira. Alguém confirma essa informação? Se confirmado, será se existe alguma foto? abraços e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  7. Alguém saberia dizer se havia uma rotatória no cruzamento da Santos Dumont com Desembargador Moreira?

    ResponderExcluir