Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Tipos folclóricos da Fortaleza antiga [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Tipos folclóricos da Fortaleza antiga


Feijão sem banha -Acervo de Jaime Vieira

Centro e bairros da Capital. Meados do século passado. Pessoas tornaram-se folclóricas por apelidações ou comportamentos. Feijão sem Banha, Ferrugem, Rádio Patrulha, Mondrongão, Zé Tatá, Raimundão e outros se fizeram conhecidíssimos. Frequentadores do Abrigo Central, Pega-pinto do Mundico*, Cine Moderno, Bar Flórida, Sorveteria Expressa e Tabacaria Almeida assistiam cenas incríveis protagonizadas pelos exóticos personagens.


 
Abrigo Central em 1949

Onde morei, existiam alguns desses tipos bem conhecidos da população. Lembro-me dos Paus-brasil – pai e dois filhos. Sararás, quase albinos, destacavam-se por comercializar de porta em porta, a prazo. Era o ofício de “galego”. Seu Tâna, proprietário de vacaria, desejava ser craque de futebol. Quase dois metros de altura, peso de cinco arrobas, segundo afirmava, e chuteiras confeccionadas especialmente para os grandes pés, fez-se sócio benemérito do 5 de Julho Futebol Clube. Comprou camisas, calções, bolas e equipamentos para o soerguimento da agremiação. Em troca conseguiu integrar o segundo quadro do time, o “esfria sol” e, quando a pelota lhe chegava, ninguém se atrevia a disputá-la. Menos ainda, encarar seu estupendo chute “bicudo” e sem rumo, perigoso se atingisse algum adversário. Pegasse na bola, a platéia gritava: “Castiga véi Tâna!”. O atleta ufanava. Recadeiro de rua, Ruído, garoto de pele muito marcada pela catapora, detestava o apelido. Era pronunciá-lo e ouvir cabeludos palavrões. Já Zé Pretim, como era tratado e gostava, vendia tapioca, queijada e filhós pelas ruas. O chamassem de Bola Sete, indignava-se. Resposta imediata. “Pra butá na caçapa da véia!”.



 
O cine Moderno


Autoridades, algumas cavaquistas, foram destaque na época. Castorina, renomada apelidadora, criou alcunhos inesquecíveis. Dom Manuel e Dom Antônio, arcebispos metropolitanos, em visitas a Aracati, receberam a marca da longeva senhora. O primeiro, por corpulento e seus paramentos coloridos, foi cognominado Bolo Confeitado, enquanto o segundo, por franzino e usar pequeno pedaço de fita verde-amarela na batina, teve o patronímico de Envelope Aéreo.

Texto "Na caçapa" do amigo e colaborador Geraldo Duarte (Advogado, administrador e dicionarista)


*Na Fortaleza dos anos 60, o refrigerante preferido dos habitantes de Fortaleza era o refresco de Pega-Pinto.

Tratava-se de uma raiz que (diz a lenda) chegou a ser colhida entre os túmulos do Cemitério São João Batista para poder garantir o consumo. Na praça do Ferreira, o comerciante Mundico abriu uma merendeira - de apenas uma porta, bem pequena, que tinha como principal produto o Pega-Pinto, delicioso diurético que era servido com tapioca ou pedaço de bolo.

 

Depois dos filmes nos cines Moderno, Majestic, São Luiz ou Diogo, a rapaziada lotava o Pega-Pinto do Mundico, que concorria com o caldo de cana da Leão do Sul. O progresso expulsou o Mundico da rua Major Facundo para a Duque de Caxias, perto da praça do Carmo.


Wilson (Ibiapina)

Conforme Gervásio de Paula, o pega-pinto é vendido, atualmente, na Lanchonete Azteca, no térreo do edifício da Associação Cearense de Imprensa (ACI)


x_3bdf7196 


11 comentários:

  1. Tinha também o xarope de guaraná no abrigo central, que era misturado com água gaseificada. O box ficava mais para o lado da Major Facundo

    ResponderExcluir
  2. Olá, Leila. Parabéns pelo blog intenso de flashs do passado do qual todos nós somos herdeiros. Sou daqui e por ser militar fiquei quase 30 anos longe da cidade que pude rever em seu trabalho mais que perfeito. Se puder, escreva alguma coisa sobre a Av Aguanambi. Certo dia, teimei com meu pai sobre a época de inauguração dessa importante via que, entre outras coisas, possibilitou a interiorização da cidade. Feliz 2012. Fabiano

    ResponderExcluir
  3. Oi Fabiano, boa noite!

    Muito obrigada por suas palavras! :)

    Fico muito feliz que o blog esteja proporcionando essa volta ao passado. A cada postagem, eu tbm faço essa linda viagem! Ah, e dentro de um bondinho. rsrs

    Amei sua sugestão, vou anotar e pesquisar o máximo de dados sobre a Av. Aguanambi, ok? :)

    Um forte abraço

    ResponderExcluir
  4. Confesso ter ficado emocionado ao ver a foto do abrigo central que conheci na minha infância e ado-
    lescência como também os cine Moderno e Majestic.
    Oh Irmãos! Que recordação e que Saudade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada por seu comentário, Ramires!

      Excluir
  5. Frequentei o Pega Pinto do Mundico já na Avenida Duque de Caxias, próximo à Praça do Carmo, na companhia dos amigos Carlos Alberto Farias, Eliomar Braga, Francisco Bessa e Heitor Ribeiro, dentre outros. Todos éramos diretores da FUCE
    Leila. Você precisa escrever sobre o Relojoeiro Moura, que consertava relógios Mido nas proximidades das Lojas Damasceno, no Centro de Fortaleza, na Rua Pedro Pereira. A Loja Vox e o seu sistema de som com uma única e potente caixa de som. Era nessa loja de discos onde adquiríamos os últimos lançamentos em LP dos maiores intérpretes da época. Ficava próxima à Casa Parente, uma das lojas mais refinadas de Fortaleza. A Coluna da Hora merece destaque especial, bem como a loja A Hora Certa. Tinha-se por hábito acertar os relógios lendo as marcações
    dessas duas e verdadeiras instituições públicas. A Hora Certa também informava a hora certa por telefone .Escreva também sobre o Flórida Bar, do Sá Filho, frequentado por políticos e pela elite de Fortaleza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciano, bom dia!

      Fiz algumas postagens sobre o Abrigo Central e sobre a Praça do Ferreira com sua coluna da hora, acredito que vc gostaria de ler. É só olhar nos marcadores na lateral esquerda do blog.
      Vou pesquisar sobre o relojoeiro e a loja A Hora Certa para fazer uma postagem. Ah, já escrevi sobre a Loja Parente, é só olhar nos marcadores.

      Abraços

      Excluir
    2. EXISTIA NAS DÉCADAS DE 40 A 60 UMA LOJINHA MUITO FAMOSA PERTO DA PÇA DO FERREIRA INTITULADA: A TORRE EIFFEL. VOCÊ TEM ALGO SOBRE ELA?

      Excluir
    3. Na postagem sobre os anos 40, eu cito a loja. Tem foto tbm:

      http://www.fortalezanobre.com.br/2010/06/fortaleza-anos-40-ii-parte.html

      Excluir
  6. Olá Leila, adoro seu blog! Parabéns!!! Você me indicaria algum livro sobre o folclore cearense? Se houver. Me interessei bastante sobre o assunto. Obrigada.

    ResponderExcluir

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: