Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Gentilândia - Esportes e Lazer [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


terça-feira, 20 de abril de 2010

Gentilândia - Esportes e Lazer



A Gentilândia sempre foi associada ao esporte e ao lazer. Conheça os vários momentos que a História do Bairro dedicou ao Esporte e ao Lazer.



Foto da lagoa do Tauape em que se avista o Campo do Prado e a raia de corrida de cavalos que o circundava, 1936. Arquivo Nirez.

Clube Gentilândia aberto em 1931 pelo Cel. José Gentil e que depois tornou-se o Centro de Psicultura do INFOCS, atual DNOCS. Quarteirão localizado entre as ruas Pe. Francisco Pinto, Paulino Nogueira, João Gentil e Valderi Uchoa. Arquivo Nirez.

O Gentilândia Atlético Clube O primeiro time de futebol da Gentilândia foi uma iniciativa do Sr. Paulo Araújo em 01 de janeiro de 1934, quando o Gentilândia chegou a disputar o Campeonato da Associação Desportiva Cearense (ADC), mas logo se dissolveu.

Na época estava atrelado ao Clube Social Gentilândia construído pelo Cel. José Gentil, na rua Rodolfo Teófilo, atual Valdery Uchoa. Ele foi por muito tempo o espaço de festas dançantes, de matinais e de pic-nics realizados à sombra das frondosas mangueiras, no parquinho.

Posteriormente, uma outra tentativa de erguer o clube partiu dos membros da Cruzada infantil e da Congregação Mariana da Igreja dos Remédios, com a abertura de um pequeno campo atrás da Casa das Missões, organizada pelo Padre Rafael e pelo Dr. Itamar de Santiago Espíndola.
Faziam parte da Congregação Mariana dos Remédios, os Ciarlinis (Clóvis, Moacir e Orlando, Valmir, Edmar e o Heitor Barroso, o Carlos Fu-Manchu), os Sombras (Antônio e Hugo), Gunther Wirtzbiki, os dois filhos do Dr. Arthur de Carvalho(José Arthur e Betinho), os filhos do Moacir Machado (Valci e o Caubi).



Primeira formação do Gentilândia em 1944. Carlos Alberto, Clovis Ciarlini, Antonio Sombra, Denísio Nascimento, Jorge Baiano, Fernando Teófilo, Anselmo, Cabeludo, Moacir Ciarlini, Adelino Alcântara e Edílson Carneiro. Arquivo Pedrinho Simões.


Campo do Prado em tarde de jogo entre Ceará e Maguary, em 05 de junho de 1927.
Arquivo Nirez.


Gentilândia Atlético Clube, Campeão Infantil de 1949 – Da esquerda para a direita: Pepeta, Pilomba, Haroldo Guimarães, Haroldo Castelo Branco e Maurício Gafieira. Arquivo Pedrinho Simões.


Diploma de campeão infanto juvenil de futebol amador de 1947.
Arquivo José Cândido.

O Gentilândia Atlético Clube foi campeão estadual de 1956 com seu tradicional uniforme alvi-anil. Em 24 de março de 1957, sob nova diretoria, recebe no Estádio Presidente Vargas as faixas de campeão do ano anterior, entretanto com uniforme rubro-negro.


Gentilândia Atlético Clube em 24 de março de 1957, quando da entrega das faixas de Campeão de 1956. Em pé da esquerda para a direita: Fernando Sátiro, Teófilo, Pedrinho Simões, Basileu, Lamparina, William Pontes. Sentados: Edílson, Pipiu, Fernando Santos, Augusto e Liminnha. Arquivo Pedrinho Simões.

Casa localizada a rua Adolfo Herbster, 343 que foi sede do Gentilândia Atlético Club, 2006.

Arquivo Elmo Júnior.


Depoimento: “Infelizmente tinha na diretoria do Gentilândia uns torcedores apaixonados pelo Flamengo e achavam que o Gentilândia por ser um clube simpático, mudando as cores para rubro-negro teria mais adeptos. Mas foi uma desilusão. Descaracterizou o Gentilândia que desde sua origem era azul e branco. Ele passou a ter outra identidade, o clube foi campeão do Torneio Início em 1959, manteve boas equipes, mas não era o Gentilândia azul e branco, não era o mesmo e o Gentilândia morreu vermelho e preto”. Pedro Simões ex-goleiro do Gentilândia Atlético Clube.


O time do Gentilândia em 1950. Acervo Carlos Zedi Machado


Gentilândia Atlético Clube no campeonato de 1956. Da esquerda para direita – em pé: Jombrega, Pedrinho, Quixadá, Becil, Lamparina, Célio, Teófilo, Edílson, Pipiu (capitão), Fernando Santos, Fernando Sátiro, Marcos. Arquivo Pedrinho Simões.

Venda de jogadores do Gentilândia Atlético Clube para Portugal, 1955. Entre os negociadores na ponta esquerda Homero Farias, dirigente do Gentilândia Atlético Clube.
In. O Povo. 01/07/1955.

Estádio Presidente Vargas no jogo entre Ceará e Gentilândia, quando este venceu pelo placar de 1 X 0 e sagrou-se campeão estadual de 1956. Arquivo Nirez.
Os Árbitros: Os campeonatos e torneios dos anos de 1960, que ocorriam no Estádio Presidente Vargas, eram precedidos do desfile do grupo de árbitros que iriam apitar os jogos. Além disso, os árbitros cearenses da época tinham um time e na folga do calendário dos campeonatos e dos torneios organizavam partidas com equipes amadoras.


Desfile dos Árbitros. Arquivo Cacá Brilhante,1960.

Time do 24 de maio, Vice-campeão cearense amador em 1948, onde se vê na ponta direita agachado o grande Beto Brasil. Arquivo Pedrinho Simões. Neste Torneio Início o Gentilândia sagrou-se campeão vencendo o 24 de Maio pelo placar de 3 a 0.

Gentilândia Atlético Club em 1960. Arquivo Ércio Flávio, 1960.

Título de sócio proprietário do gentilândia Atlético Clube, 1965. Arquivo José Cândido.

Objetos que contam a história do Gentilândia Atlético Clube. Arquivo Pedrinho Simões.



Fonte: Nirez, Fortaleza de Ontem e Hoje/Portal do Ceará

Um comentário:

  1. Excelente seu artigo sobre o Gentilândia Atlético Clube. Muito bom!!!!!!!!!!!!!! Irei transcrevê-lo em meu blog sobre futebol e citarei a fonte.Estou retornando a Fortaleza depois de 15 anos fora e fico muito feliz que pessoas amem esta cidade com maior intensidade do que eu. Contato: juvando.oliveira@hotmail.com

    ResponderExcluir

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: