Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : O rádio no Ceará [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


terça-feira, 27 de abril de 2010

O rádio no Ceará


A informação pode soar inusitada mas, em verdade real: a radiofonia, não sob essa designação, mas nomeada radiotelefonia, tem sua pré-história ocorrendo em 1924, quando se instala em Fortaleza o Rádio Club Cearense, do qual participam exatamente 129 associados. Lidera a extensa relação o engenheiro Elesbão de Castro Velloso, a quem devemos creditar a iniciativa para instalar em Fortaleza o primeiro equipamento para transmissão de voz e música, o que acabou convertido no funcionamento de “pequena estação emissora de 3 watts” na sede do Clube à Rua Barão do Rio Branco nº21, onde os membros da agremiação podiam dispor de solitário e inovador aparelho receptor de 3 válvulas, em circuito T.S.F, com alto-falante tipo Ericsson Super-Tone.

Causa admiração: além desse receptor, a cidade - consideremos assim - possuía apenas mais quatro aparelhos receptores (rádios), sendo seus proprietários os srs. Clóvis Meton de Alencar, Alfredo Euterpino Borges, João de Carvalho Góes e Augusto Mena Barreto.

Colhe-se ainda na fonte dessa informação (Revista “Rádio”), de 1924, editada no Rio de Janeiro, não haver em todo o Estado do Ceará nenhum estabelecimento comercial que negociasse aparelhos de rádio e acessórios.

Nomes de projeção ou simplesmente bastante conhecidos no Ceará integram a lista de sócios do Rádio Clube Cearense em 1924, quais os já citados e mais Humberto Monte, Mário de Alencar Araripe, João Lopes Filho, Thomaz Pompeu Sobrinho, Raimundo Alencar Araripe, Carlos Livino de Carvalho, Álvaro Weyne, Eurico Monte, Jorge Fiúza, Francisco Linhares, Assis Bezerra, Dolor Barreira Guilherme Ellery, Mozart Pinto, Jáder de Carvalho, José Carlos Matos Peixoto, César Cals, Humberto R. de Andrade, Abel Ribeiro, Ignácio Gomes Parente, Heribaldo Dias da Costa, João de Deus Cavalcante, Clóvis B. Fontenelle, Amâncio Philomeno F. Gomes, João Thomé de Saboya e Silva, Octavio Lobo. Dário Correia Lima, Luiz de Moraes Correia e etc.

O comerciante João Dummar, responsável 10 anos depois pela instalação da Ceará Rádio Clube, empreendimento radiofônico em moldes também comerciais, não tem seu nome citado na lista de associados da emissora de 1924 ... nem nas reuniões que culminaram com a montagem e funcionamento do transmissor de 3 watts.

O jornalista e escritor Eduardo Campos, de quem aproveitamos os dados ora referidos, escreveu a respeito no artigo “O Rádio Club Cearense de 1924”, estampado em edição do “Diário do Nordeste” em 19 de fevereiro de 1984, elucidando o que se deve entender por fase pré-histórica da radiofonia do Ceará:

O sobrenome Dummar só vai aparecer identificando proprietários de quotas ou ações de emissora de rádio em 1931, quando, a 28 de agosto funda-se a Ceará Rádio Clube, “autorizada a irradiar com o prefixo PRA-T, em 16 de agosto de 1932”, mas só instalada em 19 de setembro de 1933, e depois licenciada com o prefixo PRE 9 pela portaria 415, de 30 de maio de 1934.


João Dummar - Fundador da Ceará Rádio Club

A escritura de Constituição Definitiva da Ceará Rádio Clube S.A: é o documento cartorário que define oficialmente não só a constituição da Diretoria da empresa, àquela época, como os propósitos de sua atuação, marcando de modo claro,pela primeira vez a presença de João Dummar, que encerra a lista dos acionistas principais, juntamente com o irmão José Dummar e esposa desse, Sra. Zarra de Abreu Dummar.

A escritura, ora mencionada, é o mais completo documento elucidativo da constituição e funcionamento da Ceará Rádio Clube. Para conhecê-la clique aqui.

Eduardo Campos escreveu também pequena memória intitulada “Fundamentos do Rádio Cearense”. Conquanto alguns dados já estejam conhecidos linhas atrás, vale transcrever o documento pela oportunidade de aí se ordenarem, em forma concisa, as etapas mais significativas que assinalam, sem dúvida, o surgimento da radiofonia no Ceará.

João Dummar, homem de negócios, de boa formação cultural, sendo apreciador da música erudita, fazia-se amigo de expressivos nomes no cenário artístico e cultural do país. A pouco e pouco, conquanto de forma amadorística, a nova PRE-9 vai conseguindo atrair ao seu modesto estúdio, dotado de um bom piano, os talentos musicais de Fortaleza. Cinco anos depois de inaugurada, a estação já chega aos ouvintes, que crescem em número a cada dia que passa, com programação definida diária. As irradiações começavam às 18horas, com encerramento depois das 22 horas. Aos domingos, fica a impressão, a irradiação tinha início às 11 h, e, pelo meio da tarde, nesse dia do anúncio resgatado (26 de novembro de 1939), Cabral de Araújo, locutor esportivo, transmite diretamente de Recife a partida entre as seleções do Ceará e Pernambuco pelo Campeonato Brasileiro de Futebol.

Segue a íntegra da reportagem do Jornal O Povo - de 26 de novembro de 1939.

Do livro de Eduardo Campos - “50 ANOS DE CEARÁ RÁDIO CLUBE (1934-1984)”, extraímos as informações sobre os inícios das primeiras manifestações de “broadcasting” da emissora:


A fase mais significativa da emissora vai definir-se na localização de seus novos estúdios, inicialmente em 1942, a área central, então a mais valorizada da capital, altos do Edifício Diogo, e, mais tarde, em 1946, modernamente instalada em dois andares do Edifício Pajeú, dispondo de confortável auditório e estrutura agradável ao público que ali, anos seguidos, fez-se presente para aplaudir grandes espetáculos e artistas.

Dessa fase, assinalada por grandes momentos do rádio cearense, vale a pena ler na integra a reportagem publicada pela revista “Publicidade e Negócios”, de maio de 1949.


Continua...

Crédito: Manuel Eduardo Pinheiro Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: