Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Os Marcos da Ceará Rádio Club - 3ª parte [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


sexta-feira, 30 de abril de 2010

Os Marcos da Ceará Rádio Club - 3ª parte



EM 15 DIAS UM MILHÃO E DUZENTOS MIL CRUZEIROS PARA A SANTA CASA DE MISERICÓRDIA NÃO FECHAR

A idéia motivadora da campanha partiu do então superintendente das empresas "associadas", no Ceará, jornalista João Calmon, atendendo a apelo formulado pelo desembargador Feliciano de Athayde, à época provedor da Santa Casa da Misericórdia.

Este menininho descalço também quis trazer a sua contribuição para a campanha da PRE-9 em benefício da Santa Casa.


Registre-se que o locutor Paulo Cabral de Araújo teve atuação marcante, de tempo integral; Luciano Carneiro, de tanto falar, quase perdeu a voz, tendo de se afastar do microfone por algumas semanas.

Em decorrência do trabalho de benemerência, exercido pela empresa, o entusiasmo de seus diretores e locutores, a Ceará Rádio Clube, dois anos depois, ensejava que Paulo Cabral conquistasse a Prefeitura Municipal de Fortaleza, aos 28 anos de idade, na eleição de 3 de outubro de 1950, disputando o cargo com quatro outros candidatos: Antônio Gentil (Presidente do Partido Social Democrático, no Ceará, e Deputado Federal, além de diretor do Banco Frota Gentil); Alísio Mamede, médico pediatra, humanitário e apoiado por aqueles dias pelo prefeito Acrísio Moreira da Rocha; e Paulo Machado, médico, professor, nome até hoje de larga reputação em Fortaleza. A esse tempo Paulo Cabral era o Diretor Geral da emissora, mas continuava a atuar ao microfone.

Na proximidade do assunto, mencione-se que depois de Paulo Cabral, vários radialistas disputaram mandatos eletivos, valendo referir, dentre tantos, o nome de Wilson Machado, aprendido na escola radiofônica do Ceará, inspirada pela PRE-9, oriundo do Crato, onde empregava seus serviços profissionais na Rádio Araripe, da rede "associada".

A emissora na grande e sempre lembrada campanha em favor da Santa Casa e Hospital Psiquiátrico São Vicente de Paulo, em 1948, arrecadou um milhão de cruzeiros em dinheiro sonante, apreciável quantia para a época, entregue, em solenidade levada a efeito nos estúdios da Ceará Rádio Clube, ao Provedor da Santa Casa.


Fac-símile do famoso cheque de 1 milhão de cruzeiros, pago pela Ceará Rádio Clube, em nome dos ouvintes, em favor da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza. Foi emitido em 2 de outubo de 1943,assinado por Paulo Cabral, diretor da empresa.



Graças ao movimento encetado pela emissora pioneira da radiodifusão no Estado, nessa mesma ocasião laboratórios farmacêuticos e fornecedores diver, sos daquele hospital, perdoaram dívidas que, somadas, representaram a considerável soma de Cr$200.000,00 (duzentos mil cruzeiros).

A essa campanha, em diferentes épocas, juntar-se-iam outras não menos importantes pelo interesse despertado na coletividade, como a de acudimento às vítimas das enchentes do Rio J aguaribe, efetivada em 1949, quando partiram de Fortaleza, em demanda daquela região, vinte caminhões carregados de gêneros alimentícios e roupas sob a legenda: "Caravana da Solidariedade". Paulo Cabral de Araújo acompanhou a frota de socorro até o local, participando diretamente na distribuição dos donativos do povo de Fortaleza.

Pode-se dizer que a Ceará Rádio Clube, mais do que qualquer outra emissora de seu gênero, formou sempre de modo decisivo a favor dos problemas da comunidade. Relevantes campanhas em benefício de todos os segmentos da população soube empreender com oportunidade, contando imediatamente com a adesão do ouvinte.

A emissora acompanhava o movimento político da província; transmitia os principais comícios das campanhas eleitorais e informava as providências mais importantes do governo. Estava presente a todos os atos públicos, principalmente os religiosos, e reportava de bordo de aeronaves, a entrevistar personalidades em evidência, transmissão que aproveitava o próprio serviço de rádio, dos aviões, com permissão do DAC. Carlos Gaspar e Luciano Carneiro foram os principais repórteres radiofônicos dessa época.

Por linha telegráfica, da Rede Ferroviária (Rede de Viação Cearense), como se chamava então a emissora conseguia falar de vários pontos do Estado, tendo trazido até Fortaleza, de Camocim, importante pronunciamento do governador Raul Barbosa, em 1952.

A PROGRAMAÇÃO DA EMISSORA EM 1946. O "QUINTETO DE SALÃO" E A ORQUESTRA DE CONCERTO SOB A REGÊNCIA DO MAESTRO MOZART BRANDÃO

A programação estabelecida pela empresa para os festejos de 5 a 12 de outubro de 1946 (nota de rodapé *) é bem o testemunho do alto nível de seus programas artísticos, e de profissionais contratados para desempenhá-los. O pianista, compositor e maestro Mozart Brandão confirmava extraordinário talento, quer como pianista (o titular era Luiz Assunção, compositor que se projetou nacionalmente), quer regendo a Orquestra Guarany (de metais), a Orquestra de Concerto ou, semanalmente, o Quinteto de Salão, em que pontificavam, dentre outros, o flautista João Baptista Brandão e os violinistas Edgar Nunes Freire e Paulo Pamplona.

 Além da orquestra de metais a Ceará Rádio Clube mantinha afinado conjunto de pau-e-corda, assim chamado (Regional Prenove), sob a direção de Afonso Ayres, aplicado violonista. Com a morte deste, dirigiriam o Regional, em épocas distintas, Paulo de Tarso e Moreira Filho. Evaldo Gouveia, inicialmente, e Maciel, também o integraram.

Os anos finais da década 1940-49, a se tirar pela programação de 1946 e de períodos seguintes, assistiram de modo efetivo o amadurecimento da vocação artística e profissional da radiodifusão no Ceará, graças a revelação e a aplicação de grandes talentos. Na redação de programas e crônicas a estação pioneira podia orgulhar-se do trabalho de Otacílio Colares, Orlando Mota, Heitor Costa Lima e Eduardo Campos. William Alcântara, José Júlio Barbosa e Clóvis Matias formavam o elenco de humoristas. Mário Alves, Gilberto Milfont, Terezinha Holanda, Evaldo Gouveia, Trio Nagô, Guilherme Neto (mais tarde um dos dirigentes da TV Ceará), Vocalistas Tropicais, Paulo Sucupira, Acadêmicos do Rítmo, Julinho, Solteiro e tantos outros.

Gerardo Barbosa Lima era o discotecário, com estágio em emissora dos Estados Unidos, e sua auxiliar, Tereza Moura, que assumiria depois a presidência do sindicato da classe, no Ceará.

Em anos diferentes, mas por volta desse tempo, foram contratados da emissora, quer como dirigentes, quer como artistas, redatores ou locutores, Melo Júnior, Eduardo Fernandes, Maurício Carvalho, Antônio de Almeida, Albuquerque Pereira, Paulo Oliveira, Fátima Sampaio, Cândido Colares, Barbosa Filho, Barbosa da Silva, Pequeno Airton, Geraldo Fontenele, Mirian Silveira, Ângela Maria, Neide Maia, Zuila Achiles, Hildemar Torres, Cleyde Holanda, Maria de Lourdes Gondirn, Maria Guilhermina, Salete Dias, Ismy Fernandes, Laura Santos (a estrela das novelas), Irmãs Vocalistas, Keyla Vidigal, Maria José ("pastora"), Maria José Brás, Wilson Aguiar ("cheiroso"), Carmen Santos, Nogueira Saraiva (o grande repórter da cobertura do arrombamento do Orós em 1960), Ciro Saraiva e Jayme Rodrigues.

Aderson Brás e Mozart Marinho apresentavam o "Matutino Prenove", substituindo a locutores da antiga geração, José Cláudio Oliveira, Dante Vieira e José Júlio Cavalcante. Hermano Cabral da Justa foi o primeiro dirigente do "Matutino Prenove", noticiário de grande conceito, e responsável pelas edições do "Noticiário Relâmpago", patrocínio da Casa das Máquinas, durante 25 anos. Na década que antecipou o advento da Televisão, iniciativa pioneira da Ceará Rádio Clube, atuaram ainda Tom Barros, Augusto Borges e Francisco Gadelha (direção artística), e como locutores: Edésio Amorim, Narcélio Limaverde, Paulo Lirnaverde, Aldenor Maia, Wilson Machado, Ulisses Silva, Almir Pedreira, Halmálo Silva, Gonzaga Vasconcelos, Orlando Santos, Baman Vieira. E mais os radialistas: Blanchard Girão, Djacir, Luciano Campos, Hélder Souza, Emiliano Queiroz, Temístocles de Castro Silva, Jurandir Mitoso e Angélica Cavalcanti.

*Conquanto a data oficial da entrega da estação, em funcionamento, ao público, seja
a do seu licenciamento - 30 de maio de 1934 -, a partir de 1942, por conveniência puramente administrativa, ficou eleito o dia 12 de outubro (comemorativo do início das transmissões em ondas curtas) para marcar o aniversário da emissora.







Continua...



Nenhum comentário:

Postar um comentário

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: