Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : Bairro Monte Castelo [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


domingo, 16 de maio de 2010

Bairro Monte Castelo


O bairro em 1993

Este ano de 2010, o bairro vai completar 65 anos de existência. A comunidade foi batizada de Monte Castelo, no dia 15 de junho de 1945, após um decreto municipal, assinado pelo prefeito da época (Raimundo Alencar Araripe).


Praça Coronel João Pontes

Antes, o bairro era chamado Açude do João Lopes. No Monte Castelo, funcionou durante muitos anos o Primeiro lixão da cidade, na realidade um forno crematório.


O tradicional e famoso "Alicate" do Monte Castelo

Um dos lugares mais conhecidos do Monte Castelo é a Praça Redonda. Esse é o nome popular, porque o nome oficial da praça é Coronel João Pontes. Lá, são realizados os festivais de quadrilha e vários eventos do bairro. O arraial será no começo de Julho. E o bairro tem algumas curiosidades. Por exemplo, era no Monte Castelo que ficava o crematório de lixo da capital. Isso entre as décadas de 40 e 50.
Antigo João Lopes. O primeiro nome veio por causa do açude que fica no bairro e abastecia os moradores. Era ainda a área de lazer e até a fonte de renda. Nas décadas de 50 e 60 todos conheciam as lavadeiras do Monte Castelo. A lavadeira, Maria José Ancelma era uma delas. Há 30 anos, lavava roupa nos riachos que vinham do açude. “Naquela época as lavadeira viviam andan do com trouxas. Algumas deixavam os filhos largados em casa, lavavam roupa alí no corrente da marinha. As lavadeira eram muito conhecidas; aqui no bairro tinham várias”, lembra Ancelma.

O nome Monte Castelo, foi uma homenagem à batalha vencida pelos brasileiros na Segunda Guerra Mundial.
A Praça Redonda, no limite do bairro com São Gerardo é referência. Nela ficava o Clube do Internacional, que agora só existe na memória dos mais antigos. Como a pensionista, Maria de Lima Albuquerque, que frequentava o clube com a família. A saudade fica mais forte neste mês de junho. “A gente dançava muito no São João, eu lembro”, diz a pensionista.
A dona-de-casa, Nícia Coelho, sempre pára em frente ao antigo clube. Ela e todas as amigas do bairro gostavam dos dias de festa. “A gente sempre ia com as amigas. Todo mundo ia. Ave Maria! Era tanta gente nessa festa…era muito animado”, conta a dona-de-casa.

O Monte Castelo tem ainda a fé no Senhor do Bonfim. A igreja já mudou de endereço, mas a paróquia é tradicional, tem 52 anos. Os moradores também se orgulham da capela Mãe Rainha, que fica no limite com o São Gerardo. E eles ajudaram a construir. Mas o que o bairro guarda como a maior riqueza é a memória dos moradores mais antigos. Gente como o aposentado, José Geraldo, de 85 anos. Os 55 últimos vividos no Monte Castelo. Ele se lembra por exemplo de onde asisstiu a Copa do Mundo de 1970, quando a única televisão era preto e branca e pública. “A televisão ficava alí onde tinha um chafariz e era na areia. Ela era colocado em uma coluna que fizeram e algumas pessoas ficavam em pé, outras levavam cadeiras, sentavam alí até 9h ou 9h30 da noite”, lembra o aposentado.

Monte Castelo é um dos bairros mais antigos da Capital, onde segundo os moradores muitos costumes não mudaram.
Dona Zuleide Pontes é aposentada. A ligação dela com a Praça João Pontes, no bairro Monte Castelo, não é mera coincidência. Ela conta que não só a praça, mas toda área que compreende o bairro Monte Castelo, pertencia ao sogro. Os lotes foram vendidos aos poucos e o lugar, ganhando características próprias.
Em 1945, já como bairro, ele ganhou o nome que tem até hoje. Foi uma homenagem do então prefeito Raimundo Araripe à vitória dos brasileiros no norte da Itália durante a batalha de Monte Castelo.
Mais de 60 anos depois, os moradores do Monte Castelo se orgulham do lugar e dizem que motivos não faltam.
Para seu Raimundo Holanda, o tempo passou rápido, mas alguns costumes não mudaram.
A amizade entre os antigos moradores também é preservada. Um forte motivo para muita gente não querer sair do bairro.








Fonte: Tv Verdes Mares, pesquisa na internet e fotos de Paulo Campelo

16 comentários:

  1. Leila, descobri seu blog há alguns dias, pesquisando fotos antigas de minha Fortaleza.
    Parabéns pela iniciativa! É tanta coisa que não dá pra ver e saborear de uma vez só. Morro de saudade da cidade de antes. Não tenho nenhuma atração pela Fortaleza hoje, e sempre que chego aí ela vai sumindo, deixando de ser o que era. Pode-se muito bem construir o futuro sem destruir o passado.
    Estarei sempre por aqui. Pelo menos encontro Fortaleza.

    ResponderExcluir
  2. Leila, parabéns pela iniciativa. Mesmo assim, como jornalista, gostaria de alertar sobre a importância de colocar os chamados "créditos", quando se pega alguma informação, foto, imagem em geral, de outro meio de comunicação - jornal, revista, site. Exemplo: as fotos da Praça Coronel João Pontes e do Alicate, no Monte Castelo, são minhas. A matéria em vídeo é da TV Verdes Mares. Bom, é apenas uma orientação que vale para as pessoas que utilizam a internet (site, blog) como meio de compartilhar informações e boas idéias, como a sua. Creio que vc não é formada em comunicação social – jornalismo, e assim desconhece essa regra. Peço a sua compreensão nessa abordagem. É apenas uma dica construtiva. Amo também Fortaleza, e o bairro Monte Castelo, local em que vivo. Qualquer dúvida pode entra em contato, através de e-mail: paulocampelofortaleza@gmail.com
    Um Abraço e sucesso no seu blog.
    Paulo Campelo
    jornalista, radialista e pesquisador

    ResponderExcluir
  3. Oi Paulo, não sei se vc viu, mas eu citei sim a Tv Verdes Mares nos créditos, pode deixar que colocarei seu nome lá tbm, não tive intensão de prejudicar ninguém, tanto que procuro sempre colocar a devida fonte.

    Mesmo assim, obrigada pela dica.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Será sempre muito bem vindo, Nirton Venancio!!!

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Leila o brigado pela a matèria do bairro monte castelo eu participei junto com Paulo campelo, eu mesmo tenho muitas pesquisa comigo sobre a historia do bairro monte castelo que niquem tem. meu Francisco Pires.(kiko) Cumpadekiko@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Moro bem próximo ao alicate, Rua Fernando Weine, conheci ainda só o boteco de madeira, quando ele iniciou a venda do churrasco, ao lado do posto Pe, Anchieita.
    Como é gostoso ter saudades daqueles anos 1964/1965.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm sou bem nostálgica, Aires! :)

      Abraços

      Excluir
  7. Leila tbm sou saudosista e o bairro do Monte Castelo é isso que foi retratado no blog e muito mais. A grande maioria dos moradores antigos geralmente se conhecem, o antigo Clube Internacional era o point dos jovens da época. A D.Iracema Queiroz fazia um movimento com organização de desfiles com as meninas e moçinhas das famílias do bairro. O Sr. Nenzinho e D.Enir e seus onze filhos faziam festas no Caramanhão de sua residência. O Sr. Roberto Teodoro de Albuquerque na sua mercearia cativava amigos e estava sempre atento na criação de seus oito filhos que brincavam com a meninada do bairro. Destaco as famílias:Oliveira Silva; Ferreira da Cunha; da Cunha Soares; de Paula Albuquerque; Freitas Maciel;Alves de Oliveira; Landim; Cisne; Brito Santana; família Machado; Gomes; Queiroz;Guimarães, Veras; Bruno; Gondim, Praxedes; Bezerra; Almeida; Leão; Nogueira Menezes; Aragão; Justino Aguiar, e tantos outros moradores, conhecidos e cada qual com suas histórias e especificidades. Hj o bairro carece de mais segurança. Saudade da época em podia se ir para as tertúlias e voltar na paz, sem medo de assaltos e violências. Tempos que ficaram na memória e na saudade de quem pôde desfrutar de uma bela época.

    ResponderExcluir
  8. Leila, tenta uma máteria a respeito do Vila Iracema Atlético, clube do bairro, que cracks como: Duram, Mimi, Arrupiado, Zé Animal, disputa a 2ª divisão de futebol cearense, que nos anos 60, trouxe: a nata da da jovem Guarda, Wanderlei Cardoso, Jerrey Adriani, Martinha e tantos outros, a sede ficava na Av. Sargento Hermínio, 1196, defronte a casa do Lendário Sr. Odda, o mais mentiroso do bairro, bem próximo ao antigo forne crematorio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou pesquisar, Alberto!
      Quero muito conseguir atender seu pedido! :)

      Forte abraço

      Excluir
  9. Leila Nobre,boa tarde,no aguardo de meu pedido, feito hoje 16.05.2014.

    ResponderExcluir
  10. Leila Nobre, quero te convidar para conhecer no bairro Monte Castelo, precisamente, na Bodega do Sr. Roberto à rua José Cândido,299 um autêntico Encontro de Amigos, músicos que tocam samba, chorinho e MPB, somente música de 1ª qualidade. Isso acontece todos domingos a partir das 12:00h com cerveja gelada e ótimos tira gostos do Chef Junior Pires. Nesse local se reune amigos do tempo de adolescentes e pessoas que apreciam a boa música. Vá lá, conferir pessoalmente e conhecer muitas histórias daquele bairro. Abraço fraterno!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, meu amor, eu vou sim! :)
      Comida boa e música de qualidade, não tem como recusar! rsrs
      Bjos

      Excluir
  11. Bom dia Leila nobre, sou do Piauí gosto muito do seu blog, morei em Fortaleza do início dos anos 90's ao início dos anos 2.000's,estudei no Nossa senhora de Lourdes, Farias Brito, Unifor e UECE, me formei em Direito, trabalhei alguns anos nesta querida cidade, depois retornei para meu torrão natal. Gostaria de saber se você ou alguém no blog lembra, conheceu ou sabe o nome de um estabelecimento requintado para época, que ficava ou na Sargento Hermínio ou próximo a essa avenida na altura do bairro Monte castelo lá vendia chopp, sanduiches, sorvetes, etc,ficava em uma esquina, tinha uma mesas nas calçadas, era bastante conhecido nos anos 90's, quem lembra do nome deste estabelecimento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lanchonete Rabel, era point dos playboys do bairro. Muito bem frequentado. De propriedade do mesmo dono da lanchonete trópicos. (Que fica na bezerra Bezerra de Menezes). Depois virou Sorvita, outra lanchonete. Mas sem o mesmo sucesso de sua antecessora. Marcius m.

      Excluir

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: