Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


terça-feira, 24 de agosto de 2010

Guilherme Studart - Um Barão


Ceará, Terra do Sol. E do brilhantismo de homens como o Dr. Guilherme Studart - que se fez Barão não por condescendência de ordem política, mas tão somente por força de um merecimento inteiramente pessoal. Pelo reconhecimento ao humanitarismo de um ser iluminado a que poucos terão o privilégio de se dizerem conterrâneos. Toda uma vida dedicada à pesquisa histórica, ao resgate do fato mais longínquo que pudesse consolidar cada vez mais a nossa identidade cearense-brasileira. Um nobre não apenas de títulos, mas, sobretudo, nas atitudes para com o irmão mais humilde e desamparado. O médico capaz e devotado. Um homem, enfim, de fé inquebrantável.

Guilherme Chambly Studart, o Barão de Studart, (Fortaleza, 5 de janeiro de 1856Fortaleza, 25 de setembro de 1938) foi médico, historiador e vice-cônsul do Reino Unido no Ceará. Filho de John William Studart, comerciante e primeiro vice-cônsul britânico no Ceará, e de Leonísia de Castro Studart.

Fez os primeiros estudos no Ateneu Cearense, transferindo-se, posteriormente, para o Ginásio Bahiano. Matriculou-se, em 1872, na Faculdade de Medicina da Bahia, onde doutorou-se em 1877. Exerceu, durante muitos anos, a atividade médica, principalmente no Hospital de Caridade de Fortaleza.

Participou ativamente do movimento abolicionista no Ceará, como um dos membros da Sociedade Cearense Libertadora. Discordando dos meios defendidos por esta, desliga-se para fundar, ao lado de Meton de Alencar, o Centro Abolicionista 25 de Dezembro, em 1883.

Logo depois da morte do pai, em 1878, herdou o título de vice-cônsul britânico no Ceará.

Católico militante, dedicou-se à caridade e à filantropia. Como reconhecimento, o então bispo do Ceará, D. Joaquim Vieira, solicitou a autorga do título de barão da Santa Sé, concedido, em 1900, pelo Papa Leão XIII.

Foi membro de inúmeras instituições, destacando-se a Academia Cearense de Letras, o Instituto do Ceará, o Centro Médico Cearense, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, o Instituto Histórico e Geográfico da Bahia, o Instituto Histórico e Geográfico Pernambucano, o Centro Literário, o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, o Instituto Histórico de São Paulo, o Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, o Instituto Histórico e Geográfico Fluminense, a British Medical Association, a Sociedade de Geografia de Paris e a Sociedade de Geografia de Lisboa.

Autor de inúmeros trabalhos nas áreas de Medicina, línguas (Elementos da Gramática Inglesa, 1888), Geografia e biografia. Foi na História, entretanto, que ele se destacou, publicando mais de uma centena de textos, entre artigos e livros, abordando, especialmente, a História do Ceará. Suas obras são, ainda hoje, essenciais para o estudo da matéria.

Sua batalha foi para que a memória do Ceará não se perdesse. Lutou e conseguiu desenvolver vários trabalhos, hoje fonte de pesquisas para vários historiadores do Brasil e de vários países. Uma de suas frases, proferidas diante de amigos e considerada a mais importante para muitos, foi quando já cansado pelos anos disse:

Cquote1.svgInicio hoje a publicação dos documentos relativos à vida do Brasil Colônia: vejo assim realizado um dos mais queridos projetos. Do que me pertence faço de bom grado, partilharem os amantes da história pátria, tendo como certo que eles encontrarão algum subsídio aproveitável ao cabedal que há anos vou acumulando e ora lhes é ofertado. A este volume muitos outros se seguirão, se as forças, já tão alquebradas mo consentirem.Cquote2.svg


Óbito do 3º Marquês de Viana atestado pelo Barão de Studart

O Barão de Studart foi o mais profundo e honesto historiógrafo cearense, cognominado o nosso Heródoto.

Figura exponencial dos meios culturais e católicos no Ceará.

Pertencia a um sem número de associações e sociedades nacionais e estrangeiras.

As obras de Barão de Studart e os documentos que redigiu para a História do Ceará formam valioso patrimônio para a cultura do Brasil.

Foi a figura máxima dos abolicionistas conservadores, não daqueles de João Cordeiro, de "Matar ou Morrer".

O Baronato que lhe outorgou a Santa Sé, com a assinatura de Leão XIII, no breve de 22 de janeiro de 1900, foi um dos prêmios de sua conquista enorme de bondades. A comenda foi solicitada pelo Bispo Dom Joaquim Vieira que conhecia sobejamente os refolhos d'alma do ilustre varão homenageado.

Faleceu em 25 de setembro de 1938 em Fortaleza. Foi um dos fundadores do Instituto Histórico do Ceará, expoente máximo da cultura Alencarina.

"Barão de Studart foi um dos maiores historiadores do Ceará. Foi até mesmo maior do que Capistrano de Abreu, para o estudo do Ceará. Pela abordagem e pela bibliofilia, dono da maior documentação crítica.
Barão de Studart era um historiador nato, valorizava muito a questão de documentos, a pesquisa era muito bem fundamentada. "


Crédito: Literatura Real, Diário do Nordeste,
Ceará Cultural e Revista do Instituto do Ceará
comemorativa do primeiro centenário de
nascimento do Barão de Studart

11 comentários:

  1. Não há o que comentar, apenas repetir que o Barão de Studart é dos maiores representantes da historiografia do Ceará.

    Deveria ser mais conhecido e reconhecido pelas novas gerações!

    Boa noite, Leila!

    ResponderExcluir
  2. Guilherme Chambly Studart, Barão de Studart,grande e digno nome de nossa terrra, historiador famoso, deveria ser mais divulgado nos colégios pela sua contribuiçao ao estudo da história. Foi chamado o Heródoto brasileiro,com aproximadamente 150 livros de história e de ciência e artigos cientificos. Tão importante quanto isso foi o seu exemplo de caridade e religiosidade.Foi fundador da congregaçao de São vicente de Paulo e foi influente abolicionista, tudo com sentido prático.Era teórico na ciência mas homem prático na Caridade.

    ResponderExcluir
  3. O que mais me chama atençao na hitoria desse genio e homem fenomenal é a sua conduta pessoal, pautada na grande religiosidade, caridade e senso prático.Fundador da sociedade Sao vicente de Paulo , Br. de Studart foi sempre extremamente generoso com os menos favorecidos, sendo o seu titulo de Barao concedido pelos seu méritos,ao contrário dos outros titulos do Império brasileiro que eram comprados ou trocados por favores.

    ResponderExcluir
  4. Falou tudo, Florbela!

    Obrigada pelos comentários.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Pensei que tivesse sido Barão do Império.

    ResponderExcluir
  6. Leila, há dados sobre o endereço que morava o Barão de Studart? Estou escrevendo sobre Heloneida Studart e ela cita que morava no casarão do avô materno, sem nenhuma indicação. Ficarei grata pela resposta. elinalvaalves@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elinalva, boa noite!

      O solar do Barão ficava na rua Barão do Rio Branco.
      Mandarei uma foto para o seu e-mail.

      Abraços

      Excluir
    2. pode me mandar tbm meu email gabigurgel55@gmail.com

      Excluir