Fortaleza Nobre | Resgatando a Fortaleza antiga : A Faculdade de Farmácia e Odontologia do Ceará [notification_tip][/notification_tip]
Fortaleza, uma cidade em TrAnSfOrMaÇãO!!!


Blog sobre essa linda cidade, com suas praias maravilhosas, seu povo acolhedor e seus bairros históricos.


sexta-feira, 29 de junho de 2012

A Faculdade de Farmácia e Odontologia do Ceará


A mocidade estudiosa do Ceará de há muito que ansiava por uma Faculdade de Farmácia e Odontologia, que lhe viesse dar o passaporte oficial necessário a vida pública.


Graças aos esforços de uma plêiade de incansáveis e abnegados cearenses, a cuja frente, é de justiça destacar, se encontrava o Dr. Raimundo Gomes, que desde os seus primeiros instantes tem sido o batalhador incansável do progresso odontológico e farmacêutico de nossa terra, foi a 12 de março de 1916 fundada em Fortaleza a "Faculdade de Farmácia e Odontologia do Ceará".


Compreendendo a ingente vantagem que adviria para o ensino daquela Faculdade a sua oficialização, foi a mesma em outubro do mesmo ano, por lei estadual nº 1.391, considerada de utilidade pública e um ano depois a Assembléia, pela lei nº 1.458, autorizava a fiscalização oficial e bem assim determinou que, "Os diplomados pela Faculdade gozarão, para efeitos de sua profissão, dos direitos e privilégios conferidos pelas leis do Estado aos titulados em Farmácia e Odontologia pelas Faculdades oficiais da República".


A Faculdade na Rua Formosa (Barão do Rio Branco). Nesse prédio, esteve antes o Clube Iracema. O prédio já não existe mais, foi demolido. Arquivo Nirez


Funciona esse conceituado estabelecimento, em edifício próprio à rua Barão do Rio Branco nº 309, adaptado às exigências do ensino, dispondo de um bem organizado gabinete de Física e de Química; de um importante museu para estudos de História Natural; de um bem montado gabinete dentário com assistência pública diária, onde é ministrada a prática indispensável aos odontolandos e de uma farmácia para os farmacolandos se habilitarem à prática necessária à vida profissional farmacêutica.

Texto publicado no Álbum Fortaleza 1931

A iniciativa de fundar uma instituição de ensino médico na capital do Estado do Ceará partiu de um grupo de médicos, dentistas e farmacêuticos, tendo à frente o cearense Francisco de Sá Roriz, diplomado em odontologia no ano de 1912 pela então Faculdade de Medicina de Porto Alegre. Inicialmente, o objetivo era a criação de uma faculdade de medicina, mas devido à escassez de recursos decidiu-se pela Faculdade de Farmácia e Odontologia. Depois de reuniões consecutivas no consultório dentário de Raymundo Gomes (foto ao lado), a instituição foi fundada no dia 12 de março de 1916. Nesta época, na região norte e nordeste, já havia sido criadas a Escola de Farmácia do Pará e Escola Livre de Odontologia do Pará; Escola de Farmácia de Pernambuco e a Escola de Odontologia de Pernambuco. Nas cidades de Salvador e do Rio de Janeiro, desde o século XIX, já existiam os cursos de farmácia e de odontologia que funcionavam anexos à Faculdade de Medicina da Bahia e à Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.

A aula inaugural da Faculdade de Farmácia e Odontologia do Ceará versou sobre anatomia, sendo proferida por Sá Roriz na sede do Centro Espírita Cearense, situado na rua Major Facundo, contando apenas com dois alunos.

Prédio onde funcionou a Faculdade na Rua Barão do Rio Branco

No mês seguinte à sua fundação, foi apresentado o projeto do regulamento redigido e aprovado pelo diretor Francisco de Sá Roriz. Este determinava que a instituição se espelhasse nas leis e regulamento do Governo Federal, além de organizar uma clínica dentária gratuita para atendimento aos pobres e também para aprendizado dos alunos, dirigida por um lente de clínica. A diretoria era composta por um diretor, um vice-diretor, um secretário, um tesoureiro e um bibliotecário, eleitos por dois anos pela Congregação, formada pelos lentes e substitutos em exercício. O ingresso dos alunos era feito mediante exame vestibular.

Os cursos tinham duração de dois anos cada, sendo constituídos pelas seguintes disciplinas:

Gif de hospitalFarmácia:

1ª série: história natural, química inorgânica, física e farmacologia;

2ª série: química orgânica, química analítica e arte de formular.

Gif de hospitalOdontologia:

1ª série: anatomia descritiva da cabeça, histologia, fisiologia e patologia dentária;

2ª série: anatomia médico-cirúrgica, higiene da boca, clínica odontológica e prótese dentária.

De início, o corpo docente ficou constituído por seus fundadores: os farmacêuticos Affonso de Pontes Medeiros, Joaquim Frederico Rodrigues de Andrade e José de Morais Studart; e os odontólogos Francisco de Sá Roriz, Raymundo Gomes, Pedro Veríssimo de Araújo(foto ao lado), Américo de Marães Picanço, Mozart Catunda Gondim e Mamede Cirino de Lima. Mais tarde, os médicos José Odorico de Moraes, Raymundo Leopoldo Coelho de Arruda e o naturalista Francisco Dias da Rocha também se envolveram na organização da instituição. Este último, embora não fosse diplomado médico, era entomologista e naturalista cearense reconhecido nacionalmente; e por isso lhe foi concedido o diploma de farmacêutico pela instituição, que o admitiu como professor catedrático de História Natural. Durante o período inicial de funcionamento da Faculdade, esses professores abriram mão de seus vencimentos para aplicação na compra de material necessário para o desenvolvimento dos estudos. Além disso, destacaram-se as doações feitas por Francisco Dias da Rocha, de seu Museu de História Natural, formado por animais empalhados, classificados e fichados; e pelo farmacêutico Juarez Furtado, que, ao se desfazer de seu estabelecimento comercial, a Farmácia Amazonas, transferiu suas instalações para a Faculdade, incluindo materiais e substâncias para laboratório.

Ainda em 1916, a diretoria requereu à Assembléia Legislativa cearense que a instituição fosse reconhecida como de utilidade pública para efeitos jurídicos. Pelo parecer n° 57 de 23/09/1916, lhe foi concedido tal reconhecimento pela Comissão de Instrução Pública, que considerou a instituição merecedora de apoio do governo estadual. Foi decretada então a lei n° 1.391 de 2 de outubro do mesmo ano, pela qual foi autorizado o governo do Estado a reconhecer como de utilidade pública a "Faculdade de Pharmácia, Odontologia e Curso de Parto do Ceará". Embora presente na denominação do estabelecimento, o Curso de Parto não chegou a funcionar naquela época.

Maria da Penha, eleita a Rainha dos Calouros, ingressa no curso de farmácia em 1962.
"Queria uma área médica, mas não medicina, porque não iria conseguir enfrentar uma cirurgia. Minha avó sugeriu que fizesse farmácia. Fui para a área de análises clínicas. Sou da primeira turma da Faculdade de Farmácia de 1966, na Universidade Federal do Ceará." Maria da Penha


A partir de então, o número de matrículas se ampliou, com a Faculdade passando a receber estudantes dos Estados vizinhos. Visando o reconhecimento oficial de seus diplomas, a instituição solicitou a fiscalização do governo do Estado, que lhe foi concedida pela lei n° 1.458 de outubro de 1917. Neste mesmo ano, em dezembro, formou sua primeira turma com quatro odontólogos e oito farmacêuticos.

Quanto às suas instalações, mudou diversas vezes de endereço desde sua fundação até 1923, quando obteve sede própria, situada na rua Barão do Rio Branco, adquirida do Club Iracema.

A primeira diretoria ficou assim constituída: Francisco de Sá Roriz (diretor); Mozart Catunda Gondim (primeiro secretário); Pedro Veríssimo de Araújo (segundo secretário); Raymundo Gomes (tesoureiro); e Mamede Cirino de Lima (bibiotecário).

Faculdade na Rua Liberato Barroso nº 525, esquina com rua 24 de Maio


Diretores:

Francisco de Sá Roriz (1916-1918); Raymundo Leopoldo Coelho de Arruda (1918- 1920); Affonso de Pontes Medeiros (1920-1922); José Odorico de Moraes (1922- 1923 e 1940-1943); José Nelson Catunda (1923-1924); Carlos da Costa Ribeiro (1924-1925); Raymundo Gomes (1925-1927 e 1948-1949); Amadeu Furtado (1927-1929, reeleito 1929-1931); Raymundo Leopoldo Coelho de Arruda (1931-1933, reeleito 19/03/1934-agosto 1934, quando faleceu, ocupando seu lugar o vice-diretor Francisco Dias da Rocha); Américo de Marães Picanço (1936-1939).

Professor Dias da Rocha

Denominações: Faculdade de Farmácia e Odontologia do Ceará (1916); Faculdade de Farmácia e Odontologia da Universidade do Ceará (1954); Faculdade de Farmácia e Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Ceará (1965)


x_3ca04afa

Fontes: MARANHÃO, Leite. Resenha histórica. In: UNIVERSIDADE DO CEARÁ.FACULDADE DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA. Anais. Tomo I. Fortaleza: Imprensa Universitária, [1963]. (CCS – UFRJ) - FARIAS SOBRINHO, José Ribeiro. 140 anos do ensino farmacêutico no Brasil: 1832-1972. João Pessoa: ESLF, 1973. (BCOC), Álbum Fortaleza 1931 e arquivo do blog

4 comentários:

  1. cara leila obrigado pelas informações, meu nome é marcelo verissimo kauati, moro no Pará e sou tataraneto do Pedro Verissimo De Araujo, e o engraçado é que tenho um sobrinho que se chama Pedro Felipe Verissimo Kauati, e apesar do mesmo nome não foi uma homenagem foi mera coicidência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, q legal, Marcelo! :)

      Muito legal saber que um membro da família fez história, não é?
      Fico feliz por vc!

      Forte abraço

      Excluir
  2. leila, caso seja do seu interesse, segue outras informações sobre pedro verissimo de araujo, alem de ser um dos fundadores da faculdade de fármacia e odonto do ceará ele tambem era formado em direito e foi co-fundador de uma associação de militares reformados do ceará.
    ass. marcelo v. kauati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelas informações! :)

      Agradeço os comentários

      Excluir

NOTÍCIAS DA FORTALEZA ANTIGA: